Piauí registra 3.797 casos de hanseníase em dois anos

Esse número que de certa forma é alto fez com que a Secretaria Estadual de Saúde lançasse neste mês se março uma campanha de alerta

Piauí registrou em dois anos um número de 3797 casos de hanseníase. Esse número que de certa forma é alto fez com que a Secretaria Estadual de Saúde lançasse neste mês se março uma campanha de alerta aos riscos que essa doença provoca e quais são os métodos de evitar o contagio. A ação conta com medidas educativas, e é intitulada de Hanseníase tem cura.

As cidades de Parnaíba, Picos, Floriano e Piripiri estão cotadas para receberem a campanha de maneira intensificada uma vez que esses municípios foram os que mais apresentaram casos durante os anos do levantamento, 2008 e 2009. A iniciativa de política pública foi articulada para acontecer durante todo o ano de 2010, com destaques efetivos nestas cidades elencadas. A principal proposta da iniciativa da secretaria estadual é que a população tenha conhecimento de que o tratamento da enfermidade é gratuito.

No Piauí, a hanseníase atingiu 2.385 pessoas no ano de 2008. Em 2009, os registros tiveram uma redução de 973 casos, sendo notificados 1.412 casos. Entre os municípios do Estado que mais notificaram a doença no período de 2008 e 2009, Teresina é a primeira da lista com 1.399 casos. Em seguida, está a cidade de União, com 201 registros e Floriano, com 187 casos. Parnaíba ocupa o quarto lugar, com 184 notificações.

A queda dos números é resultado das constantes ações realizadas pela Secretaria Estadual da Saúde. Em 2009, o Estado implantou a estratégia da supervisão descentralizada, onde os 11 territórios do Piauí possuem supervisores capacitados em assistir o programa de controle da hanseníase em todos os municípios.

?Isso permite que a supervisão estadual possa realizar ações mais estratégicas, tais como o acompanhamento com freqüência das atividades realizadas pelos municípios mais endêmicos, o aumento do número de capacitações para os profissionais de saúde, campanhas de maior impacto para a população, entre outras ações?, apontou a coordenadora estadual de doenças transmissíveis, Karina Amorim.

O Brasil é o segundo país com a maior quantidade de casos da doença, perdendo apenas para a Índia. Em 2008, foram 36.566 casos detectados. A proposta é estimular as prefeituras no sentido de incentivar a preocupação com aumento de casos da doença. (T.T.)

Fonte: Thays Teixeira - Jornal Meio Norte