Piauí será prioridade na exploração do petróleo a partir de 2011. Veja!

Há grande possibilidade de que seja encontrado petróleo e gás no PI, disse Fábio Amorim (Gaspisa)

A partir de 2011 o Piauí estará em primeiro plano na busca de petróleo por parte da Petrobrás. A empresa, que descobriu esta semana uma nova província petrolífera na Bacia do Sergipe, também inicia no próximo ano a exploração de novas fronteiras petrolíferas na margem equatorial brasileira, que inclui o Piauí e os Estados do Ceará, Maranhão e Pará. Os estudos sísmicos dos blocos da região e a campanha de perfuração dos poços deve começar em 2011.

?A Agência Nacional de Petróleo (ANP) fez estudos na área da bacia do Parnaíba, no Piauí e Maranhão, onde foi encontrado, este ano, gás pela OGX, a empresa do Eike Bastista. Acreditamos que existe grande possibilidade de que seja encontrado petróleo e gás no Piauí?, afirmou Fábio Amorim, diretor administrativo e financeiro da Gaspisa (Companhia de Gás do Piauí).

Fábio destaca ainda que os blocos que somam a área piauiense e maranhense devem entrar na 11º rodada de licitações para escolher que empresas serão responsáveis por explorar os blocos. ?No primeiro semestre de 2011 os blocos deverão ser ofertados para as empresas explorarem, podendo ser a Petrobrás ou outras companhias do exterior?, completou Amorim.

Após a nova província petrolífera na Bacia de Sergipe-Alagoas a Petrobrás irá prosseguir com as atividades e os investimentos, através da perfuração de outros poços pioneiros e da elaboração de Plano de Avaliação de Descoberta a ser definido pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

No Nordeste a atividade petrolífera em terra é intensa. Um exemplo disso é Sergipe, que produz quatro vezes mais petróleo em terra do que no mar, de acordo com a ANP. No Pará e Maranhão, a Petrobrás e a OGX possui concessões, com reservas em torno de 447 milhões de barris de óleo e gás. Na Bacia do Parnaíba, o potencial de produção é de 15 milhões de metros cúbicos por dia, ou seja, metade do volume importado da Bolívia. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte