Piauí tem melhor desempenho do país na investigação da microcefalia

Segundoa Saúde, Piauí possui maior evolução dos casos investigados

Entre os estados brasileiros com notificações de casos suspeitos de microcefalia relacionados a processo infeccioso, o Piauí é o que apresenta maior evolução dos casos investigados, segundo o Ministério da Saúde.

O ranking avalia os números de notificação, investigação e conclusão dos casos divulgados nos boletins epidemiológicos divulgados pelo Ministério a cada semana. Enquanto o Piauí esclareceu quase 90% dos casos, Pernambuco chegou a índice inferior a 60%, ficando em segundo lugar. A Paraíba alcançou o terceiro lugar com pouco mais de 50% dos casos concluídos.

À medida que os boletins são lançados, o Ministério procede com a análise da evolução das investigações em cada unidade da federação. Segundo dados analisados, o Piauí está conseguindo atender de forma apropriada e rápida crianças e gestantes, atingindo o fechamento dos casos e partindo para o tratamento de estimulação precoce.

O secretário de Estado da Saúde, Francisco Costa, conta que a preocupação do Estado foi preparar toda a rede de saúde para levantamento, diagnóstico e tratamento desses casos de microcefalia.

“Fizemos isso através de ações como a instituição do comitê para definir fluxos e protocolos, a criação do Centro de Referência em Microcefalia para prosseguir com avaliação laboratorial e por exames de imagens, busca ativa dos casos em parceria com os municípios, implantação da estimulação precoce no CEIR e nos NASFs. E assim, chegamos a esse patamar de praticamente 90% dos casos já esclarecidos aqui no estado do Piauí”, afirmou Francisco Costa.

De acordo com Bárbara Elisa Zwetsch, da Estratégia de Apoio e Política Nacional de Humanização (CGPNH) do Ministério da Saúde, os gráficos analisados identificaram que os estados do PI, PE e PB conseguiram um avanço considerável nas investigações e fechamentos de casos. “Em especial o Piauí conseguiu nitidamente esse avanço”.

E pelo desempenho, o Ministério encaminhou questionamento acerca dos trabalhos desenvolvidos pelo Comitê Estadual da Microcefalia que servirá “como experiência exitosa para os demais estados”, diz o documento de solicitação.

O Estado está conseguindo esses dados elevados por conta do empenho da Secretaria de Estado da Saúde, afirma Miriane Araújo, gerente de Vigilância em Saúde e membro do Comitê. “As ações articuladas pela Secretaria seguiram, desde o primeiro momento, uma lógica acertada de investigação e tratamento, paralelas ao combate do vetor”, disse.

Fonte: Portal MN