Piauí terá 257 novos leitos para terapia intensiva

A maior parte deles estará na nova maternidade que disporá de 115

O balanço realizado pelo Governo do Estado das obras em execução na área da saúde aponta que a população do Piauí terá a sua disposição mais 257 novos leitos para tratamento intensivo para recém-nascidos e adultos, distribuídos na capital e interior.

A maior parte deles estará na nova maternidade que disporá de 115 leitos. Sendo 20 leitos de UTI adulto, 30 leitos de UTI neonatal, 45 leitos de Unidade de Cuidados Intermediários e 20 leitos de Cuidados Intermediários Canguru, além de espaço para acolhimento das mães e bebês.

A intenção do Governo é fortalecer a política de descentralizar os serviços de saúde no Estado, principalmente nos municípios em que a demanda de atendimento é maior, que é o caso de Parnaíba, Picos, Floriano, Oeiras e São Raimundo Nonato que receberão cerca de 100 leitos já em obras.

Em Piripiri, por exemplo, ainda no ano de 2015, ocorreu a ampliação para 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional Chagas Rodrigues e lá ainda estão previstos mais 10 leitos neonatal.

“Com a descentralização da oferta de serviços da saúde, ampliamos o acesso ao atendimento de média e alta complexidade no interior do Piauí. Isso significa menos transferências para a capital e mais resolutividade nos hospitais regionais”, explica o secretário Francisco Costa, mostrando que também na capital, a expansão será significativa.

Em Teresina, somente para o Hospital Getúlio Vargas, a ampliação prevista será de 24 leitos de UTI adulta, ampliando para 40. No Hospital da Polícia Militar está em fase de finalização a obra de construção de 10 novos leitos. No Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela, foram autorizados mais três leitos. Na Maternidade Dona Evangelina Rosa, serão ampliados mais 10 leitos para Cuidados Intermediários Neonatal (UCIN).

A atenção especial da secretaria de Estado da Saúde também está voltada à saúde da mulher e do bebê, garantida através da execução de obras da estratégia Rede Cegonha, programa do Ministério da Saúde, implantada no primeiro governo Dilma, com a construção de 75 leitos neonatal em Teresina, Parnaíba, Piripiri, Picos, Floriano, Oeiras e São Raimundo Nonato.

Além da parte de infraestrutura, a Secretaria adquiriu equipamentos para complementar o atendimento de alta complexidade. É o que informou Francisco Costa, citando também o fato do município de Floriano possuir o primeiro aparelho de tomografia em estabelecimento público instalado no Hospital Regional Tibério Nunes.

 “Entregamos no ano passado o tomógrafo ao Hospital, que passou a atender os pacientes seja ambulatorial, seja internado. É um ganho imenso no diagnóstico de imagem, o que pode evitar o deslocamento do paciente para Teresina, sendo que lá já contamos com leitos de UTI, que também será ampliado para o atendimento neonatal”, disse o secretário.

Esses avanços significativos no atendimento de alta complexidade, distribuídos por vários municípios do Estado, “fortalecem as regiões de saúde, aproximando os cuidados de quem precisa com maiores chances de sobrevida aos pacientes. É um processo que não tem a agilidade que queremos, mas que, com firmeza e obstinação, estamos fazendo acontecer na saúde pública”, afirma Costa.


Leitos de UTI (Crédito: Reprodução)
Leitos de UTI (Crédito: Reprodução)


Fonte: Portal Meio Norte