Piauí terá seu primeiro comitê de enfretamento a crime de homofobia

O Piauí está prestes a criar seu primeiro comitê de enfrentamento a esse tipo de agressão

O problema da homofobia no Piauí é preocupante. O Estado figura nas primeiras posições de casos de denúncias ao Disque 100, Ouvidoria do Governo Federal. Para tentar dar mais assistência às vítimas desse preconceito foi discutido ontem a criação de um Comitê de Enfrentamento da Homofobia no Piauí.

?Esse preconceito é forte no mundo todo, não é só no Piauí. O Piauí hoje é o terceiro em número de reclamações ao Disque 100. Isso se deve também ao fato de nós ainda sermos um Estado muito católico e conservador?, lamentou o coordenador do Centro de Referência de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais ? LGBT, Victor Koslowisk.

O Comitê de Enfrentamento a Homofobia no Piauí terá, dentre suas competências, acompanhar a implementação dos Termos de Cooperação Técnica de Combate à Homofobia, acompanhar os casos de discriminação e violência homofóbica relatados diretamente ao Comitê, ou ao Sistema de Segurança Pública, e as Corregedorias e Ouvidorias de Policia Estadual, assim como aqueles de grande repercussão social; contribuir para o aprimoramento da comunicação entre os órgãos que recebem e atuam nas denúncias provenientes do Disque Direitos Humanos (Disque 100) em relação ao público LGBT, dentre outros.

Foram convidados para a audiência pública do Piauí Conselhos Regionais de Psicologia, Comissões de Direitos Humanos da OAB, Comissões de Direitos Humanos das Assembleias Legislativas, Ministério Público, Poder Judiciário, Defensoria Pública, Secretarias Estaduais de Justiça e/ou Direitos Humanos, Gestores LGBT, Procuradoria Geral do Estado, representantes das Policiais Civis e Militares, assim como ativistas do movimento social, Universidades Federais e órgãos de pesquisa e proprietários de comércio GLS.

Fonte: Pollyana Carvalho