Piauí terá mais 98 leitos para tratamento intensivo, garante Sesapi

O investimento será de R$ 7 milhões

A Secretaria de Estado da Saúde vai implantar mais 98 leitos para tratamento intensivo, sejam para Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) adulto e neonatal, como para Unidade de Cuidados Intermediários (UCI).

Os novos leitos serão para os hospitais da rede estadual do interior e para o Hospital Getúlio Vargas (HGV). O investimento será de R$ 7milhões.

Em Teresina, está em fase de licitação a ampliação do atendimento do HGV em 10 leitos de UTI, sendo seis leitos cardíacos e quatro coronarianos. E está em fase de elaboração, projeto de ampliação de mais quatro leitos de UTI Adulto. Com a ampliação, o HGV terá 30 leitos.

Nos hospitais do interior serão construídos 74 novos leitos. Em Oeiras, no Hospital Deolindo Couto, está sendo finalizada a obra de adequação de uma UTI adulto de sete para 10 leitos e instalação dos equipamentos da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (UCIN) com cinco leitos.

Em Piripiri, no Hospital Chagas Rodrigues, está em licitação a adequação de uma UTI de sete para 10 leitos e uma UCI com 10 leitos. No município de Parnaíba, o Hospital Estadual Dirceu Arcoverde está em fase de conclusão de uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) com 10 leitos e uma UCIN com 10 leitos, com 70% da obra executada.

No município de Picos, o Hospital Regional Justino Luz passa por uma adequação do projeto de UTI adulto de 7 para 10 leitos e de uma UTIN e uma UCIN, com 10 leitos cada. Esta obra está 50% executada.

Em Floriano, o Hospital Tibério Nunes já está em fase de conclusão, com 90% da construção de uma UTIN e uma UCIN, cada uma com 10 leitos.

“Essa oferta de leitos de UTIs no interior do Estado busca, além de aumentar a descentralização dos serviços, resolver os casos que requerem tratamento intensivo nas regiões de saúde, não precisando, assim, se deslocar para buscar a já pequena oferta de leitos na capital. 

Paralelamente a isso, estamos capacitando profissionais da região para que possamos garantir o cuidado em terapia intensiva tanto de atenção neonatal como também na UTI geral e dessa forma amenizar um pouco esse sofrimento que existe no estado por deficiência de leitos de UTI.

Governador investe em melhorias no setor 

Entre as ações prioritárias tocadas pelo governador Wellington Dias, está a instalação de mais leitos de UTIs nos hospitais regionais, visando desafogar o atendimento na capital Colocar o sistema público de saúde do estado em plano de emergência foi uma das primeiras ações administrativas do governador Wellington Dias (PT) logo que assumiu o governo, em janeiro deste ano, pois o que constatou na época foi estarrecedor, com hospitais e unidades de saúde fechados por falta de condições de funcionamento. 

O resultado da ação emergencial é que agora, além da reabertura dos serviços, quase 100 Unidades de Terapia Intensiva estão sendo construídas em vários municípios, incluindo Teresina, para suprir a necessidade dos atendimentos de urgência dos piauienses, além da normalidade do atendimento básico.

Em visita ao Hospital Tibério Nunes, em Floriano, ainda em março deste ano, o secretário de Estado da Saúde, Francisco Costa, já dizia que uma das metas do governador Wellington Dias era desafogar o atendimento emergencial em Teresina, considerando que grande parte dos atendimentos é proveniente do interior do Piauí.

"É nossa meta fortalecer o atendimento de média e alta complexidade em Floriano e em outros municípios do Estado", lembrava ele. Pois bem, isso agora, segundo ele, começa a se transformar em realidade.

No Tibério Nunes, por exemplo, estão em fase de conclusão as obras de construção de dez leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal e mais dez leitos da Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), também neonatal. 

E mais obras estão previstas para Floriano, que vai ganhar o Centro de Parto Normal e a Casa da Gestante, de especial atenção à mulher. Para o governador Wellington Dias, iniciativas como estas serão permanentes, com atenção voltada também para a melhoria do atendimento na capital, que ainda recebe a maior parte dos procedimentos emergenciais.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) informa que estão sendo implantados em todo o Estado 98 leitos para tratamento intensivo, voltados para UTIs adulto e neonatal, bem como Unidades de Cuidados Intermediários (UCIs).

Investimento permite a descentralização 

De acordo com o governador Wellington Dias, essas unidades possuem um alto investimento, porém, o Estado tem que suprir as necessidades da população e, por isso, sua meta é dotar a rede estadual de emergência com capacidade para minimizar as grandes demandas, especialmente nos municípios do interior.

Um passo, segundo ele, imprescindível nesse processo de descentralização do atendimento e somente nos hospitais do interior, serão construídos 74 novos leitos.

Em Oeiras, citando outro exemplo, no Hospital Deolindo Couto, está sendo finalizada a obra de adequação de uma UTI Adulto, de sete para 10 leitos, além da instalação dos equipamentos da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (UCIN), com cinco leitos.

O município de Picos também está sendo contemplado. O Hospital Regional Justino Luz passa por uma adequação do projeto de UTI Adulto, de 7 para 10 leitos, e de uma UTIN e uma UCIN, com 10 leitos, cada. Esta obra, segundo o secretário Francisco Costa, está 50% executada.

Capacitação dos profissionais 

O secretário Francisco Costa argumenta que essa oferta de leitos de UTIs no interior do Estado busca, além da descentralização dos serviços, resolver os casos que requerem tratamento intensivo nas regiões de saúde.

"Com isso, em pouco tempo, o usuário não precisará mais se deslocar para buscar a já pequena oferta de leitos na capital", assinala. "Paralelamente a isso, estamos capacitando profissionais da região para que possamos garantir o cuidado em terapia intensiva tanto de atenção neonatal como também na UTI geraI", completa.

Atualmente, são disponibilizados no Piauí 171 leitos de UTIs adulto e neonatal, além de leitos de UCI pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Somente pelo Estado, são 80 leitos.

O secretário concorda que, mesmo com essas intervenções, os poderes poderes públicos estadual e municipais, com a ajuda do governo federal, precisam intensificar ainda mais os investimentos a fim de suprir a crescente demanda para os atendimentos de saúde.

"No entanto, o que o Governo Wellington Dias realiza agora significa um avanço importante, e a maioria das obras já está bem avançada. Por outro lado, estamos trabalhando em parceria com o Ministério da Saúde nessa implantação da Rede de Urgência e Emergência em outras regiões de saúde do estado", finaliza Francisco Costa. 

Fonte: Waldelúcio Barbosa