Piauiense Norberto Campelo é aprovado no Senado para vaga no CNJ

Na votação, o piauiense teve 56 votos a favor e 1 abstenção

Image title

O piauiense José Norberto Campelo foi aprovado nesta terça-feira (07) pelo Senado Federal para ocupar a vaga no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), representando a Ordem dos Advogados do Brasil, pelo biênio de 2015-2017.

Na votação, Norberto Camepelo obteve 56 votos a favor, uma abstenção e nenhum contrário.

Para o presidente da OAB-PI, Willian Guimarães, a escolha de Norberto Campelo representa uma vitória para a advocacia piauiense, da Seccional Piauí e da própria sociedade piauiense. “A presença de um piauiense no CNJ, com os conhecimentos e o perfil profissional do advogado Norberto Campelo, é garantia de que teremos um diálogo mais fácil e franco com o CNJ, no sentido de contribuir para uma melhor estrutura do Poder Judiciário do Estado do Piauí e, certamente, para uma gestão mais eficiente dos recursos hoje existente”.

Guimarães lembra que o Judiciário piauiense vive um momento de muitas dificuldades, principalmente no que diz respeito à estrutura de pessoal, sendo necessária a realização de concurso público para magistrados, serventuários, juízes leigos e conciliadores. “Além das dificuldades vivenciadas na Justiça Estadual, temos a necessidade de ampliação da Justiça do Trabalho, que em Teresina possui hoje uma estrutura aquém da demanda, sendo a capital do país que contém menor estrutura de Varas do Trabalho. No que diz respeito à Justiça Federal, necessário também a criação e instalação de novas Varas”, comentou, acrescentando que a presença de Norberto Campelo significará, certamente, a presença de um defensor dos anseios da população piauiense.

Competência, capacidade técnica e de diálogo. Essas são as principais características de Norberto Campelo, que podem contribuir para o desempenho de sua nova missão junto ao órgão de cúpula do Poder Judiciário, o CNJ. “Norberto Campelo reúne todas as qualidades para garantir uma atuação exemplar no CNJ. Desejamos pleno êxito ao colega em sua nova missão e que ele consiga levar os pleitos da advocacia a fim de contribuir com a melhoria da prestação jurisdicional em todo o país”, frisou o presidente nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado.

Para Campelo, a escolha de seu nome para o Conselho Nacional de Justiça proporcionará à advocacia piauiense o fortalecimento dos pleitos do Poder Judiciário. “Ter um advogado piauiense na composição do CNJ possibilitará maior aproximação da Seccional com o órgão, bem como maior projeção no âmbito nacional e melhorias substanciais para a Justiça do Estado”, declarou.

Com 49 anos de idade, 21 deles dedicados à advocacia, Norberto Campelo afirma que no CNJ se dedicará ao trabalho das comissões, em especial a de eficiência e gestão de pessoas. “Venho há algum tempo estudando o trabalho dessa comissão, porque penso que o papel mais importante do CNJ é o planejamento. Acredito que a única oportunidade que o judiciário brasileiro tem para elevar o seu nível de trabalho, para ter mais qualidade na prestação jurisdicional, é através do CNJ. E essa comissão lida diretamente com esse tema, de planejamento, organização e introdução de novas rotinas”.

Norberto Campelo

Nascido em 31 de outubro de 1965, em Teresina-PI, José Norberto Lopes Campelo é filho de Francisco Soares Campelo e Maria de Jesus Lopes Campelo. Graduado em Ciências Econômicas e Ciências Jurídicas pela Universidade Federal do Piauí, especializou-se em Direito Público pela Universidade Federal de Minas Gerais e em Direito Empresarial pela Universidade Estadual do Ceará. Atuou como professor do Curso de Especialização em Gestão Pública da Faculdade CEUT e como conferencista em diversos eventos científicos, além de autor dos Manuais das Eleições Municipais 2000 e 2004.

Na OAB, Norberto Campelo ocupou os cargos de presidente da Seccional Piauí (2007/2009, presidente da Comissão de Relação Institucionais da OAB Nacional (2010/2012). Atualmente, é conselheiro federal desde 2010, presidente da presidente da Comissão Especial de Direito Eleitoral da OAB Nacional e membro das Comissões de Estágio e Exame de Ordem e Segurança Pública da OAB-PI.

Fonte: Portal MN