Piora estado de saúde de bebê de um ano que foi espancado por uma babá

A criança foi levada a unidade pelos pais desacordada, com relatos de sonolência e episódios de vômito.



O Estado de saúde do bebê de um ano espancado pela babá piorou, segundo boletim médico divulgado pelo Hospital Estadual da Criança, em Feira de Santana, a 108 km de Salvador, nesta quinta-feira (3).

Segundo o boletim médico, o bebê continua internado na Unidade de Estabilização do Hospital recebendo cuidados intensivos desde o dia 28 de março, às 18h50. A criança foi levada a unidade pelos pais desacordada, com relatos de sonolência e episódios de vômito.

O bebê foi submetido a uma tomografia de crânio, neurocirurgia e recebe acompanhamento de um neurocirurgião. A paciente continua sem indícios de reatividade e em ventilação mecânica, devido a gravidade da lesão neurológica e piora do quadro neurológico.

Leia o boletim na íntegra:

A paciente M.L.P., 1 ano e 1 mês continua internada na Unidade de Estabilização do Hospital Estadual da Criança, recebendo cuidados intensivos desde o dia 28 de março, às 18h50, quando foi trazida desacordada pelos pais com relatos de sonolência e episódios de vômito. A mãe afirmou que a criança poderia ter caído da cama ou ter sido agredida.

A criança foi submetida a uma tomografia de crânio e neurocirurgia. Está sendo acompanhada pelo neurocirurgião. A paciente continua sem indícios de reatividade e em ventilação mecânica, por conta da gravidade da lesão neurológica e piora do quadro neurológico.

Caso:

Maria Luiza deu entrada no Hospital da Criança na noite de sábado (29) com quadro de sonolência, vômitos e indícios de ter sofrido fortes pancadas na cabeça.

A acusada se apresentou à polícia na terça-feira (01), mas negou que tenha agredido a menina. O pai da babá disse que ela sofre de transtornos mentais e não estava tomando os remédios controlados por conta da gravidez.

A mulher disse que o bebê tinha caído do berço durante a manhã, mas os pais da criança confirmaram que ela foi agredida pela babá por conta das marcas no corpo.

Fonte: r7