Piso afunda e preocupa moradores em bairros da zona Sudeste de Teresina

É o que afirma a moradora Eusilene Sousa, que garante já ter comunicado várias vezes à Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU/ Sudeste), mas até agora nada foi feito

São duas casas, localizadas no residencial Frei Damião, no Bairro Gurupi, zona Sudeste de Teresina, que estão sofrendo danos provocados pela má construção. Os problemas vão desde pisos afundando, infiltração a paredes rachando.



As casas, que antes eram de taipa, foram construídas aproximadamente há oito anos, através do projeto Morar Melhor, o atual Minha Casa, Minha Vida. No entanto, com a situação atual, o que era sonho, se tornou um verdadeiro pesadelo.

É o que afirma a moradora Eusilene Sousa, que garante já ter comunicado várias vezes à Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU/ Sudeste), mas até agora nada foi feito.

“Começou a rachar e entrei em contato com a SDU. E pouco tempo depois o piso começou a afundar. Só sei que esta é a pior situação que já vivi. Estou cansada de ir lá e a história que ouço é a mesma, que vão ajeitar ou vão fazer o orçamento, mas até agora nada foi feito”, confessa Eusilene Sousa, que mora com a filha que está grávida.

Já a outra moradora é Maria Pereira, dona de casa, ela afirma que o piso de sua residência já está começando a afundar e destaca ainda que a proposta da construção de um baldrame no fundo do quintal das casas, mas que isso não passou de uma promessa.

“O piso da minha casa já está começando a afundar. O pior de tudo é a falta de um baldrame, que inclusive nos prometeram a uns anos e até agora nada. Se fizessem isso evitaria mais prejuízos que podemos ter”, garante a moradora.

A equipe do Jornal Meio Norte entrou em contato com a SDU/Sudeste para verificar a situação da estrutura nas casas do Residencial Frei Damião. E, segundo Odacir Soares, gerente de fiscalização, será encaminhada uma equipe para fazer a vistoria da área.

Já Erica da Silva, a assistente social da SDU/Sudeste, chama a atenção dos teresinenses, da importância de formalizar o problema, que é o ato de abrir um processo na própria instituição, exigindo providências.

Fotos: Moises Saba

 

Fonte: Pollyana Carvalho e Márcia Gabriele