Plano Estadual para LGBT é lançado e avança conquista de direitos em THE

O lançamento do I Plano Estadual de Cidadania e Direitos Humanos LGBT aconteceu no auditório do Ministério Público

O Estado do Piauí está avançando e conquistando mais direitos no segmento das pessoas lésbicas, gays e transexuais e agora passa a contar com um plano estadual, que foi lançado ontem, em Teresina, com a presença da coordenadora Nacional de Promoção dos Direitos LGBT, da Presidência da República, Synney Larrat. Segundo ela, o Estado do Piauí vem tendo avanços importantes para a classe.

"O Piauí está de parabéns, pois temos aqui entidades e órgãos em nossa defesa. A gente precisa ter orientações de políticas públicas e apresentar urgentemente para sociedade, porque a violência homofóbica vem crescendo muito e só se enfrenta o problema com direitos e cidadania",disse Larrat.

O lançamento do I Plano Estadual de Cidadania e Direitos Humanos LGBT aconteceu no auditório do Ministério Público, pela Secretaria da Assistência Social e Cidadania (Sasc), através da Diretoria da Unidade de Direitos Humanos.

O plano fundamenta-se nas orientações e diretrizes contidas no Plano Nacional de Promoção da Cidadania LGBT e nas deliberações das I e II Conferências Estaduais LGBT realizadas em 2008 e 2011 no Piauí e reflete o esforço conjunto do Governo do Estado e da Sociedade Civil organizada na busca de políticas que venham a atender às necessidades e direitos da População LGBT.

De acordo com a diretora de Direitos Humanos da Sasc, Cícera Andrade, a secretaria teve um papel decisivo para a implementação do plano. Ela destaca ainda que o Plano é um grande avanço na promoção da cidadania LGBT:

"Hoje, o Piauí é um Estado que ganha destaque por apresentar inúmeros avanços na conquista e defesa da cidadania LGBT, através da concretude de leis em âmbito estadual e municipal, avanços esses conseguidos fundamentalmente devido às articulações junto aos movimentos sociais LGBT", diz Cícera.

Ontem, também foi realizada uma reunião do Comitê de Enfrentamento à Homofobia que discutiu uma pauta extensa sobre as garantias e proteções à população LGBT.

O Comitê é formado por representantes da Sasc, do Ministério Público, da Defensoria Pública, da Secretaria da Segurança, da Secretaria da Educação, do Conselho de Psicologia, Movimentos Sociais, entre outros.

Fonte: Raimundo Gomes