PMs doam alimentos após ladrão dizer que roubou para alimentar bebê

O acusado disse que roubou para alimentar filho que estava faminto

Policiais compraram alimentos no valor de R$ 400 e doaram para a família de um jovem, de 19 anos, que foi preso acusado de roubar o celular de uma pastora evangélica. O rapaz, identificado como Jorales Souza, alegou que havia roubado para poder alimentar o seu filho, um bebê de apenas 1 ano e 1 mês.

Joarles Souza simulou ter uma arma debaixo da camiseta para poder roubar o celular da vítima. 

O crime aconteceu na última sexta-feira (27), no P.Sul, região administrativa de Ceilândia, Brasília.

O acusado disse que está desempregado e sem ter como alimentar o filho e  disse a vítima no momento do crime que só estava roubando por esse motivo. "Só porque a situação está daquele jeito, não faço isso, não", afirma.

Para checar a história, os policiais resolveram visitar a família de Joarles Souza. Os PMs disseram que no local encontraram a mulher dele que de fato não havia nada. A criança não tinha o que comer e nem a mulher do acusado.

A mulher de Joarles contou que o marido perdeu o emprego como vendedor de roupas em abril e que desde então depende de ajuda de familiares para sobreviver. Ela conta que era operadora de caixa em um mercado e que foi demitida quando descobriu que estava grávida.

A situação da esposa do acusado de roubo era delicada, no local onde morava, que era de aluguel, não havia armários, geladeira e o botijão de gás tinha sido emprestado por uma vizinha.


Doações feita pelos policiais
Doações feita pelos policiais

O soldado Luca Alexandre Rezente conta que compraram arroz, iogurte, leite, verduras, frutas, biscoitos, macarrão, ovos, sal e óleo de cozinha e depois voltaram a casa da mulher do preso para entregar os alimentos, mas não a encontraram. Quando ligaram ela disse que havia saído de casa para tentar arranjar leite para o filho já que eram 16h e ele ainda não havia comido o dia todo. O policial conta que ela ficou emocionada quando recebeu a notícia de que receberia os alimentos.

Joarles continua preso e sua mulher procura ajuda para conseguir advogados para soltá-lo.


Fonte: g1