"Poder do mal" agiu sobre ele, revela viúva de Champignon

"Poder do mal" agiu sobre ele, revela viúva de Champignon

Um mês após morte do marido, Cláudia Campos escreveu no Facebook.

?Sei que foi um poder do mal que agiu sob [sic] ele naquele instante. Ele jamais faria isso em sā consciência espiritual?, escreveu a cantora Cláudia Bossle Campos, viúva do músico Champignon, sobre o suicídio do marido, cometido em 9 de setembro deste ano, no apartamento do casal, na Zona Sul de São Paulo. A mensagem foi publicada na página pessoal dela no Facebook, na quarta-feira (9), justamente um mês após a morte do ex-baixista da banda Charlie Brown Jr. A mulher ainda postou a imagem do cartão de aniversário que recebeu do artista no ano passado. Ela, que está grávida, completa 33 anos nesta quinta-feira (10).

?Somos espíritas, e neste dia de hoje a CORRENTE DE ORAÇĀO de 1 mês da passagem do meu amor LUIZ CARLOS LEĀO DUARTE JR deve ser muito forte e iluminada?, escreveu Cláudia Campos na web, que pediu aos fãs para orarem por Champignon ao invés de postarem fotos dele. ?Recebi msgs espirituais, que nāo devemos ficar o "puxando" neste momento. Sei que é difícil porque o amor e a saudade transborda a alma.. Mas o que devemos fazer e peço encarecidamente a todos, é que ao invés de ficarmos postando fotos, escrevendo o qto sentimos saudade e atraindo ele a este mundo terreno, OREMOS E O EMANEMOS MTA LUZ E PAZ. Porque essa nossa saudade e homenagens com fotos e lamentações prejudica o processo de evoluçāo e desligamento que ele precisa neste momento.?

De acordo com Cláudia, seu marido era espírita. ?A ORAÇĀO e PENSAMENTOS DE LUZ é o que devemos fazer sempre. Mas principalmente agora onde o espírito dele dorme mas acorda confuso. Por favor, de coraçāo pensem nisso. ORAR MUITO MUITO E DESEJAR QUE ELE ENCONTRE A LUZ E TENHA DISCERNIMENTO EM TODO O PROCESSO QUE O ESPÍRITO DELE SE ENCONTRA. Ele era espírita tb, e tinha conhecimento?, escreveu. ?OBRIGADA de coraçāo e desculpem meu pedido e até outras religiões, mas falo isso de acordo com a nossa doutrina Kardecista e msgs recebidas no centro espírita.?

?SEGUE A LUZ AMOR DA MINHA VIDA. Amanhā é meu aniversário e pra mostrar o quanto ele acreditava que a vida nāo acaba aqui, mostro pra vcs, o presente mais lindo que ele me deu, onde ele fala das várias vidas que pudermos ter um ao outro. E por aqui me despeço e a partir de hoje de mim ele só receberá minhas vibrações de SUBLIME AMOR e pensamentos fortes de LUZ e PAZ!?, postou a cantora.

No texto do cartão de aniversário a Cláudia, Champignon havia escrito: ?Amor da minha vida. Não poderia existir ninguém melhor do que você pra ser a grande parceira dessa vida. Com certeza serei o maior parceiro da sua vida também... Quem faz aniversário é você, mas quem ganhou o presente fui eu, você... Tudo de melhor que o meu coração tem eu dedico a você. O Peixão vai cuidar da sereia dele com muita paixão e amor. Em todas as vidas que eu puder ter você. Te amo demais. Peixão. 10/10/2012?.

Suicídio

Laudos da Polícia Técnico-Científica de São Paulo reforçam a tese da Polícia Civil de que Champignon cometeu suicídio. Para a investigação, ele usou uma pistola para atirar contra a própria cabeça. De acordo com o delegado Danilo Alexiades, os exames do local, do confronto balístico indicam que o artista se matou com uma pistola 380. Além disso, também foram entregues os testes das análises do computador do músico e da esposa.

Questionado sobre os laudos da perícia local e do computador do casal, o delegado do 89º Distrito Policial, respondeu que os dois testes também apontam para a tese da investigação de que o músico de 35 anos se matou por não ter suportado as críticas dos fãs.

A mulher de Champignon falou à polícia que o marido ?chorou? no dia 8, na véspera de sua morte, por causa de uma crítica que recebeu na internet.

Além dos problemas financeiros que estava enfrentando, o delegado contou que a viúva relatou que o músico estava ?triste? com comentários, por ter assumido o vocal do grupo no lugar do cantor Chorão, morto em 6 de março. Após a morte de Alexandre Magno Abrão, o Charlie Brown Jr. mudou de nome e passou a se chamar A Banca.

Após o depoimento da viúva e de mais dez outras pessoas, entre àquelas que conviveram com Champignon, e vizinhos e policiais que o encontraram, o delegado afirmou que está mais convencido de que "uma forte depressão" levou o artista a se matar.

Segundo Alexíades, mesmo diante da tristeza de Champignon, a mulher não percebeu que o marido estava disposto a tirar a própria vida.

Apesar disso, são aguardados os resultados dos laudos necroscópico (que irá apontar a causa da morte, possivelmente traumatismo craniano), residuográfico (para saber se há pólvora nas mãos de Champignon), toxicológico (tentar confirmar que ele estava sob efeito de álcool) e as imagens das câmeras de segurança (gravaram o músico fazer um gesto no elevador, que está sendo interpretado como um sinal de que ele iria tirar a própria vida).

O caso

O corpo de Champignon foi encontrado pela Polícia Militar na madrugada do dia 9 no apartamento que ele dividia com Cláudia, na Zona Sul da capital paulista.

De acordo com o delegado, Cláudia contou que no domingo à noite, ela e marido foram com um casal amigo a um restaurante japonês na Zona Oeste. Foram num carro só, guiado por um amigo. Pelo depoimento prestado, a viúva contou que teve uma pequena discussão com Champignon por causa de bebida.

Champignon fez ao menos duas declarações de pobreza à Justiça. A alegação do músico é a de que ele não tinha condições financeiras para arcar com custos de processos por dívidas, a maioria por bens que adquiriu e não conseguiu pagar, nem dinheiro para pagar advogados para defendê-lo.

Trajetória

Champignon nasceu em Santos, litoral paulista. O músico lançou vários discos com a banda Charlie Brown Jr, que deixou em 2005, após brigas com o vocalista Alexandre Magno Abrão, o Chorão. Nessa época, participou de outros projetos, como o grupo Nove Mil Anjos, que tinha Junior Lima (irmão de Sandy) na bateria.

Em 2011, Champignon retornou ao Charlie Brown Jr. e fez com que a banda voltasse a contar com a presença dos quatro integrantes da formação original de 1992: Marcão, Champignon, Chorão e Thiago Castanho, além do baterista Bruno Graveto, que passou a integrar o grupo em 2008.

Após a morte de Chorão, em 6 de março deste ano, os membros do Charlie Brown lançaram a banda "A Banca", que tinha Champignon como vocalista. Ele foi enterrado no dia 10 no mesmo cemitério onde Chorão foi sepultado, em Santos.





Fonte: G1