Polícia vai apurar quem vazou vídeo de sexo, afirma advogada da assessora Denise

Polícia vai apurar quem vazou vídeo de sexo, afirma advogada da assessora Denise

A advogada não soube informar quando o boletim de ocorrência foi feito e nem em qual delegacia

A assessora parlamentar Denise Rocha pediu à Polícia Civil do Distrito Federal para investigar o vazamento na internet de um vídeo em que aparece fazendo sexo, segundo afirmou nesta segunda-feira (23) a advogada criminal Mariana Kreimer Melucci.

O vídeo circulou no Senado e chegou a ser visto por parlamentares durante uma sessão da CPI do Cachoeira.

"Já existe na delegacia um boletim de ocorrência. Todos os envolvidos serão ouvidos para a gente buscar os eventuais responsáveis", disse Mariana Melucci. Segundo ela, as investigações vão tramitar em caráter sigiloso.

A advogada não soube informar quando o boletim de ocorrência foi feito e nem em qual delegacia. Também disse que não sabia se alguma testemunha já tinha sido ouvida.

"Fui contratada na sexta-feira (20). No fim de semana, dei uma lida no material e hoje peguei uma procuração assinada com ela. [...] Vou tomar todas as medidas cabíveis em todas as esferas, cível e criminal, para amenizar os danos causados", disse.

Sobre a declaração de sua cliente de que um ex-namorado divulgou as imagens, a advogada disse que não se pode apontar os responsáveis antes da conclusão do inquérito.

"É o que se está tentando apurar. Ele [o homem que aparece no vídeo] pode tanto ser suspeito quando pode ser uma segunda vítima. Não se pode ser leviano de apontar um responsável. É preciso ser apurado em que circunstância, por que vazou, de onde veio."

Em entrevista ao EGO publicada nesta segunda, Denise Rocha afirmou que o vídeo foi gravado há seis anos e fora das dependências do Senado.

Mariana Melucci disse ainda que sua cliente está "acamada" em razão de uma cirurgia feita recentemente. A advogada não soube informar qual foi a cirurgia.

"Só conversei com ela sobre informações relevantes para o processo", declarou.

Caso Carolina Dieckmann

A advogada traçou uma comparação entre o caso da cliente e o da atriz Carolina Dieckmann, alvo do vazamento na internet de fotos em que aparece nua.

"A diferença, em princípio, entre os dois casos é que Carolina Dieckman é uma pessoa pública, atriz famosa. A Denise não é famosa, ela foi exposta em razão disso. Sobre a Carolina, já se tem opinião formada, ela tem carreira. Denise foi exposta nessa situação, ninguém sabe quem é ela. E tem a questão do preconceito de gênero porque o país vive com esse machismo, no qual mulher bonita não pode ser inteligente."

A advogada também disse que sua cliente está preocupada com afirmações do chefe, o senador Ciro Nogueira (PP-PI), de que poderá ser demitida quando voltar de férias.

"É uma preocupação, o trabalho dela, que ela gosta e vem desempenhando de forma satisfatória conforme o próprio senador já disse. Ela foi vitimizada pela confusão e ainda pode perder o emprego."

Fonte: G1