Cantor detido alega inocência e diz sofrer perseguição política

O cantor Mariozan Rocha foi conduzido após ser pego com arma.

O cantor Mariozan Rocha comentou o episódio sofrido por ele na madrugada desta terça-feira (27), em Picos, quando o grupo foi parado em uma barreira policial e conduzido até a Delegacia Regional de Polícia Civil de Picos para esclarecer a posse de uma arma de fogo encontrada no veículo.

Mariozan diz estar sofrendo ameaças políticas em Monsenhor Hipólito, sua terra natal, e por isso reforçou sua segurança pessoal e a de sua família. “Sou uma liderança muito forte, minha família também, e apoiamos um candidato lá. E a oposição tem pegado demais no meu pé, vinha sofrendo ameaças demais nos últimos dias e a gente reforçou a segurança pessoal minha e de minha família”, explica.

Mariozan Rocha (Crédito: Reprodução)
Mariozan Rocha (Crédito: Reprodução)

O cantor negou ter sido preso e afirmou ter sido liberado pela polícia logo após prestar depoimento. O artista também falou sobre a posse da arma e declarou que o revólver calibre 38 é de posse de um dos rapazes que o acompanhavam no momento em que foram detidos. “Eu prestei meu depoimento e fui embora, nada mais do que isso. Eu nunca tive uma arma, inclusive temos que fazer uma busca no registro para ver quem realmente é o dono”, defende.

Mariozan Rocha afirmou não ter sido reconhecido de imediato pela polícia, por isso se identificou e não apresentou objeção ao ser conduzido para a delegacia.

Para o artista, o flagrante policial foi uma armação política que não deve prejudicar sua carreira musical. “Eu acho que todas as pessoas que me conhecem, meus fãs desde criança, sabem da minha índole, do meu caráter, sempre fui trabalhador e lutei por muitos e muitos anos para conquistar o meu espaço”, argumenta.

Liberado, Mariozan Rocha afirmou que seguirá para Monsenhor Hipólito e continuará atuando na campanha política do candidato que apoia na região.

Fonte: Com informações do Grande Picos