Em 2015, 370 pessoas foram mortas por arma de fogo no Piauí

Os dados são da Secretaria de Segurança e Mapa da Violência.

O Brasil tem o maior número de assassinatos envolvendo armas de fogo no mundo. Além disso, fica na frente de países que estão em guerra civil. De acordo com o mapa da Violência 2015, 42.416 pessoas morreram em 2012 vítimas de arma de fogo no Brasil, o que equivale a 116 mortes por dia. Desse total, 94,5% foram mortes por homicídio.

Neste final de semana, a modelo e apresentadora Ana Hickmann foi vítima de um atentado provocado por um psicopata que acabou morto com disparos na nuca após luta corporal com o cunhado da vítima. Neste mesmo dia, quatro jovens foram mortos na capital piauiense, sendo todos vítimas de arma de fogo.

No Piauí, somente em 2015, segundo dados fornecidos pela Secretaria de Segurança Pública, 370 pessoas foram mortas por arma de fogo, o que corresponde a 60, 55% das vítimas de homicídio doloso no Estado.

Registro de posse ou porte de arma de fogo só é possível com autorização da Polícia Federal, após uma verdadeira maratona burocrática e a maioria acaba desistindo. A pergunta que fica: De onde vem essas armas? O mercado negro é a opção mais fácil para quem quer comprar uma arma de fogo. O resultado para quem tenta ir para este lado, agindo de forma ilícita, muitas vezes não caba bem.

Em uma recente operação, policiais da Delegacia Especializada de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (DEPRE) encontraram uma arma que era usada por um homem que, segundo a polícia, é suspeito de tráfico de drogas.

“Dentro da residência encontramos o Miguel que é um velho conhecido da polícia e tem três passagens por tráfico. Nós encontramos uma arma de fogo calibre 38 com quatro munições intactas”, afirmou o delegado Matheus Zanatha.

Quase 13 anos após o Estatuto do Desarmamento, ouvimos a opinião de alguns piauienses.

“A questão do desarmamento, em um contexto geral, eu acho que as autoridades tinham que organizar. Primeiro passo: você é um cidadão eu sou o cidadão, então qual a proteção que nós temos? Se o poder público não consegue nos proteger, eles teriam que procurar uma maneira melhor de proteger a gente”, afirmou uma pessoa que preferiu não se identificar.

“Uma arma em casa para própria segurança e da nossa família”, opinou outro.

“Tinha que andar armado, sim. Só os bandidos podem andar armados?”, questiona uma senhora.

"Muitos bandidos armados e soltos por aí e os populares, como ficam?", pergunta um homem. 


Fonte: Portal Meio Norte