Marcello Maia diz que acusações são levianas e caluniosas

O político afirmou que tudo não passa de perseguição política.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Marcello Maia, candidato a prefeito de Castelo do Piauí pelo Partido Social Democrático (PSD), vem a público afirmar que as acusações que vieram à tona nesta terça-feira (27) e que dão conta de que é suspeito por cometer crime de estelionato contra idosos, previsto no artigo 171, § 4º, do Código Penal, são levianas e caluniosas. Estas não passam de uma manobra política da oposição liderada pelo Partido dos Trabalhadores (PT) na tentativa de denigrir a imagem do candidato.


De início é de se estranhar o trâmite do inquérito e do indiciamento, vez que é público e notório a lentidão e morosidade dentro da polícia e do poder judiciário. Porém, todo ocorrido foi procedido a toque de caixa.


É de chamar atenção, também, que o inquérito e o processo, até então, por ordem do delegado e do juiz, corria em segredo de justiça, porém às vésperas da eleição de forma proposital e eleitoral, tudo é divulgado na imprensa na tentativa de prejudicar o candidato a prefeito do PSD.


Em verdade, conforme depoimento a senhora Francisca das Chagas Vasconcelos Aragão, de 82 anos, perante o delegado de polícia, de forma contundente a mesma afirma que jamais foi lesada pelo seu advogado Marcello Maia, tendo recebido toda a importância de direito, afirmando ainda que “não tinha nada a reclamar da atuação do advogado”.


No mesmo depoimento a idosa relata ainda que “ficou muito satisfeita com o recebimento da causa e que o dinheiro está na conta da sua filha, pois tem muita confiança nela”.  


O inquérito, bem como a denúncia, não representa a condenação, sendo direito constitucional à ampla defesa e o contraditório, o que não foi exercido pelo candidato Marcello Maia, vez que sequer foi notificado da denúncia do Ministério Público do Estado do Piauí.


É importante esclarecer que ao contrário do que afirma a denúncia, a filha da idosa, Luiza Luciara Vasconcelos Aragão não procurou o Fórum espontaneamente. Na verdade, o promotor estranhamente mandou intimar a mesma para que comparecesse à promotoria, e após ouvi-la mesmo contra a vontade, a orientou a registrar um Boletim de Ocorrência (B.O.).


Mais surpreendente ainda foi que alguns dias após, o representante do Ministério Público do Estado do Piauí mandou intimar a filha da idosa, dizendo que não aceitava o primeiro Boletim de Ocorrência, a orientando a registrar o segundo B.O. conforme os termos que ele desejava.  


Conforme recibo e fotografia (em anexo) resta comprovado o momento do recebimento da quantia de R$ 24.900,00 pela idosa, no dia 17 de junho de 2016, restando demonstrada toda leviandade das acusações, evidenciando que tudo não se passa de uma manobra política da oposição liderada pelo PT no intuito de chegar ao poder a qualquer preço.  


Marcello Maia está de consciência tranquila de que nada pesa contra a sua pessoa. O candidato conta com o apoio dos castelenses, que abraçaram a sua candidatura e que acreditam no seu potencial para administrar Castelo do Piauí. No dia 02 de outubro, temos a certeza de que a mentira e a calúnia sairão derrotadas e que não conseguirão desqualificar as pessoas honradas e que têm compromisso e trabalho prestado à nossa cidade.

Marcello Maia (Crédito: Divulgação)
Marcello Maia (Crédito: Divulgação)


Na noite desta terça-feira (28/09), a Polícia Civil de Castelo do Piauí indiciou o candidato a prefeito Marcelo Vidal Martins, mais conhecido por Marcelo Maia pelo crime de estelionato contra idosos.

Após investigação realizada e comandada pelo delegado Renato Pinheiro, foi possível concluir que "Marcelo Maia" realizou uma fraude em um processo judicial que tramitava na Comarca de Castelo do Piauí gerando um prejuízo de R$ 24.900 a uma idosa identificada por Francisca das Chagas Vasconcelos, de 82 anos.

De acordo com informações da Secretaria de Segurança, Maia utilizou-se de um ardil para ludibriar a vítima afirmando que havia sido descontado uma taxa do Tribunal, tributo esse inexistente. A situação chegou ao conhecimento da polícia através de registro de ocorrência realizado pela filha da vítima chama Luzia de Vasconcelos Aragão.

O inquérito foi relatado e enviado para Justiça. Em nota, familiares do acusado afirmaram que tudo não passa de uma perseguição política.





Marcelo Maia (Crédito: Reprodução)


Fonte: ASCOM