Suspeito de assassinar dono da 'Casa do Camarão' é preso em SP

Valdinar Ramos deve ser recambiado para Teresina

Image title


A Polícia Civil do Estado do Piauí, do Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública em conjunto com o Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC), do Estado de São Paulo, deram cumprimento nesta segunda-feira (16/11) ao mandado de prisão temporária expedido contra Valdinar Ramos da Anunciação, suspeito do crime de latrocínio, roubo seguido de morte, que vitimou o empresário Antônio Santos, fato que ocorreu no dia 03 de novembro de 2009, nas dependências da Casa do Camarão, de propriedade da vítima, localizada no Centro de Teresina.

Em virtude de um trabalho constante no sentido de dar cumprimento a mandados de prisão expedidos pelo Poder Judiciário, o Núcleo de Inteligência da SSP-PI obteve informações e localizou Valdinar na cidade de Taubaté-SP, oportunidade em que foi solicitado apoio da Polícia Civil do Estado de São Paulo para dar cumprimento ao referido mandado.

Com a prisão de Valdinar, o inquérito policial poderá seguir com novas diligências no sentido de elucidar o crime de latrocínio. Valdinar deve ser recambiado para Teresina, onde ficará em uma das unidades prisionais do Estado, à disposição da Justiça Criminal. Em depoimento, o acusado confessou o crime.

"Eu estava sozinho em um bar no bairro Satélite, de 17h30 para 18h eu fui fazer um assalto em um escritório. Escolhi aquele lugar porque já tinha passado lá e tinha visto a movimentação de dinheiro. Entrei e abordei todo mundo, tinham quatro pessoas lá dentro, dois homens e duas mulheres. Anunciei o assalto e três pessoas se deitaram no chão, mas a vítima veio me agredindo, disse para ele deitar no chão e não deitou. Iniciamos uma briga e quando ele me largou dei dois disparos, consegui me soltar e saí correndo”, disse.


A empresária Layane Santos, filha de Antônio Santos, usou suas redes sociais para comentar sobre a prisão do acusado.

''Agradeço todas as mensagens e ligações de estima e apoio pela prisão do assassino do meu pai. Foram 6 anos de longa espera e dor para mim, meus irmãos e todos aqueles que consideravam nosso pai! O momento é de muita emoção, ainda estou muito nervosa e quero ficar perto dos meus irmãos e das minhas filhas!Parabéns ao trabalho da polícia. Nada trará nosso pai de volta, mas saber que a justiça existe, já nos conforta e ameniza essa dor. Espero também que a "justiça" não solte o Valdinar depois de amanhã!''

Fonte: Ascom