Vigia é assassinado a tiros durante tentativa de assalto na Uespi

Vigilante acaba assassinado a tiros na Facoe durante assalto

Um vigilante foi vítima de assalto e um vigia foi morto a tiros por volta das 20h30 de terça-feira (24/03) na Faculdade de Odontologia e Enfermagem (FACOE) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), no Bairro Montserrat, em Parnaíba.

Um vigilante, de 23 anos, da empresa Brasão Vigilância e Segurança, informou que estava sentado em uma cadeira do lado de fora do prédio, quando um carro Celta de cor preta parou na frente do muro e um homem branco e magro desceu, enquanto outro ficou ao volante. Este veio caminhando normalmente e quando se aproximou colocou um revólver em sua e exigiu que lhe entregasse a arma.

A vítima disse que não dispunha de nenhuma, então o agressor puxou pela camisa e o conduziu com destino as instalações do prédio afirmando que ia matar. Oportunidade em que roubou o celular da vítima. Quando de repente, o vigia Francisco das Chagas Ferreira de Sousa, 52 anos, conhecido “Zulu”, saiu da área interna do prédio e se deparou com a ação. Francisco foi interceptado também. Quando se desentedia com o assaltante, o vigilante conseguiu fugir e se refugiou dentro da FACOE. Em seguida, ouviu disparos de arma de fogo. Francisco estava baleado e correu para dentro do prédio onde caiu e morreu instantes depois.

A Polícia Militar foi acionada e seguiu para o local. Ao chegar foi constatada a morte. Enquanto isso, outras guarnições da Polícia Militar faziam buscas para encontrar os acusados. A polícia acredita que o agressor também esteja ferido pois há marcas de sangue próximo ao portão da faculdade onde o carro estava parado. O SAMU chegou e atestou a morte. O Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM) recebeu a informação anônima de uma pessoa que afirmou ter visto um homem ferido e morto no prolongamento da Avenida de São Sebastião, já no retorno que dá acesso ao conjunto Colina da Alvorada, no Bairro João XXIII. Guarnições do moto-patrulhamento e viaturas seguiram para o local onde nada foi encontrado. Pois a intenção era desviar a atenção da polícia.

Posteriormente, uma equipe do IML de Parnaíba, composta pelos policiais Robinson Castillo e Luís Beline, fez a remoção do corpo após muita insistência, já que o órgão paralisou por 24h pela garantia de melhorias em todo o Estado. Foi constatado no primeiro momento, dois tiros no tórax do vigia e um balaço na cabeça que, possivelmente, transfixou. O comandante do 2° Batalhão de Polícia Militar do Piauí, o tenente coronel Costa Lima, disse que a primeira linha de investigação é o latrocínio.







 

 

Fonte: Proparnaiba