População espera pela inauguração de hospital do Monte Castelo

A Prefeitura de Teresina investiu na segunda fase da obra R$ 2 mi

Após três anos de espera, os moradores do bairro Monte Castelo, zona Sul de Teresina, finalmente poderão usufruir das melhorias feitas no Hospital Dr. Miguel Couto. Serão entregues 50 leitos, seis consultórios médicos e um odontológico, sete enfermarias adulto e quatro infantis, no próximo dia 28 de agosto. A Prefeitura de Teresina investiu na segunda fase da obra R$ 2.988.268,98.

Mesmo com a data de inauguração definida, parte da população ainda duvida que a obra seja entregue no final do mês. É que o prédio deveria ser finalizado em 2012, mas por problemas na execução da obra a Prefeitura Municipal de Teresina precisou realizar uma nova licitação para continuar com o trabalho de revitalização do hospital.

“Nos disseram tantas datas para receber esse hospital que até duvido se vão realmente inaugurá-lo. A obra que deveria durar apenas nove meses se estendeu por mais três anos. Estamos contando que esse hospital irá melhorar o serviço de saúde do nosso bairro”, afirma Robson dos Santos.

As novas instalações do hospital farão com que a população tenha um atendimento médico rápido e eficiente em um local mais próximo à sua residência. É o que espera Raimundo de Sousa, que mora na região do hospital. O aposentado precisa ir ao médico com frequência, mas por conta da distância do deslocamento, às vezes ele tem dificuldades para ir ao médico.

“Com um hospital desse porte perto de nós, poderemos ir ao médico mais rápido. A saúde dos moradores, principalmente dos mais idosos, deve melhorar por conta da facilidade do acesso a esse sistema de saúde. Já que muitas pessoas não podem ir a outros hospitais mais distantes”, relata.

Atendimento inicia a partir de 29 de agosto

Em atividade desde agosto de 1978, o Hospital do Monte Castelo ficava aberto 24h para emergências, e das 7h às 18h para exames, consultas e serviços ambulatoriais. Antes da reforma, o hospital contava com 20 leitos, sendo seis destinados para a pediatria e 12 para clínica médica e dois destinados para a observação de pacientes.

Em nota, a FHT afirmou que a partir do dia 29 deste mês inicia o atendimento para a população em casos de urgência para adultos e crianças.

A presidente da Fundação Hospitalar de Teresina (FHT), Fátima Garcêz, explica que houve acréscimo e adaptações ao projeto inicial da obra para oferecer melhores serviços para a população. “A população irá receber um hospital de ponta, com profissionais qualificados e a garantia de melhores serviços”, declara.

Projeto inicial foi melhorado e adaptado

Segundo informações da PMT, a entrega do hospital em 2012 não aconteceu em razão da empresa contratada na primeira licitação, que não pôde continuar com os trabalhos e parou a obra. Sendo assim, a prefeitura rescindiu o contrato, em comum acordo com a antiga empresa, e teve que esperar os prazos burocráticos para realizar uma nova licitação.

“Nós trabalhamos duro no cronograma para que o prazo de entrega fosse cumprido. Por conta desse problema, tivemos que fazer uma série de alterações, o projeto inicial foi adaptado e melhorado, pois previa apenas 38 leitos, tendo sido aumentado para 50 leitos, e novos espaços também foram integrados ao projeto”, explica o chefe da Gerência de Engenharia e Arquitetura da Fundação Hospitalar de Teresina (FHT), João de Deus Sousa.

Ainda segundo o gerente, não houve atraso na entrega da obra, visto que o prazo para a entrega em 2012 era de responsabilidade da gestão anterior. “Nós só começamos a trabalhar nesse projeto em 2013, a partir daí corremos atrás do prejuízo, pois tivemos que atualizar os pagamentos, fazer uma nova licitação que dura no mínimo 90 dias”, completa.

Fonte: Pollyana Carvalho e Rhauan Macedo