População faz passagem clandestina e aumentam perigo na linha férrea em Teresina

Essas passagens são feitas pela própria população, que derruba o muro no local onde se deseja criar um local para travessia

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA QUINTA-FEIRA (23) DO JORNAL MEIO NORTE

 

O problema do risco de acidentes na linha férrea de Teresina sempre preocupou os responsáveis pelos transporte ferroviário e pelos gestores da cidade, mas a situação se agravou ainda mais, depois que os moradores passaram a criar passagens clandestinas nas linhas férreas. Elas estão presentes em vários pontos e, em algumas deles passam até carros.

Essas passagens são feitas pela própria população, que derruba o muro no local onde se deseja criar um local para travessia. Elas, no entanto, não oferecem segurança, por não serem sinalizadas e não possuírem condições técnicas e de visibilidade para travessia de pedestres ou veículos.

Lindalva de Castro e Silva, que tem que pegar sua filha na escola todos os dias, sempre precisa atravessar os trilhos para ir à sua casa. No local, onde ela faz a travessia há uma passagem feita pela própria Companhia Metropolitana de Transporte Público (CMTP) e outra pela população, mas ela confessa que não sabe se está em uma passagem clandestina ou não.

“Eu sempre tenho bastante atenção ao atravessar a linha férrea, sempre paro, espero um pouco, olho com atenção e tento escutar o barulho do trem. Caso não perceba nenhum sinal de que o metrô não está vindo aí eu atravesso, mas confesso que não sei se a passagem que eu sempre uso é clandestina ou não”, pontuou.

Repórter: Pollyana CarvalhoPollyana Carvalho

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Pollyana Carvalho