População já sofre com falta d’água há 40 dias na zona Norte de THE

Perspectiva de solução é a inauguração de uma nova subestação

O Conjunto Paulo de Tarso, na região da Santa Maria da Codipi, na zona Norte de Teresina, existe há cinco anos, mas desde que foi entregue aos moradores, poucas melhorias foram feitas no local, onde não há estrutura nem serviços essenciais à população, como escola, posto de saúde, nem calçamento. A principal reclamação dos moradores atualmente é com relação à falta d’água, que já dura mais de 40 dias. Os moradores já chegaram até a quebrar as calçadas pra saber se há vazamentos nos canos. Sem nenhuma expectativa de solução dos problemas, algumas famílias mudaram para a casa de parentes.

Segundo o líder comunitário Jean Machado, os moradores já ligaram várias vezes para a Agespisa, que alega que o problema está na bomba, e nada é resolvido. Diariamente, ele pega água na casa de parentes para as atividades do lar e compra garrafas de 20 litros para o consumo.

O problema é recorrente e a a única perspectiva de solução é a inauguração de uma nova subestação de tratamento da região. “Eu preciso buscar água na casa da minha sogra, no Mocambinho, para poder usar dentro de casa, mas muitas pessoas aqui não têm condições de adquirir água em outra fonte e estão sofrendo e passando por muitas dificuldades. São mais de 200 casas que sofrem com o problema”, disse.

O motorista João Machado mora com a mulher e dois filhos na Quadra R do conjunto e diz que é um dos moradores que já pensaram em vender a casa por conta da constante falta d’água e considera a situação uma “falta de respeito”. Ele ressalta que o serviço de cobrança pelo uso da água continua chegando normalmente, mesmo sem ter água nas torneiras. “Não temos condições de viver desse jeito. Sem água, não podemos fazer nada, e o pior de tudo é que o boleto com a conta chega todos os meses e se não pagarmos eles enviam uma carta informando que nosso nome vai para o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), mas onde está o serviço para eles cobrarem a conta?”, questiona o morador.

A aposentada Maria Luiza, de 70 anos, diz que a Quadra S, onde fica sua casa e de seus filhos, já passa mais de 20 dias sem ter água nas torneiras e que todos sofrem muito com a situação, principalmente as crianças e idosos. “A gente paga a conta e ainda tem que comprar água para beber. Se não tem água, a gente não tem como sobreviver”, acrescentou. Segundo a dona de casa, assim que a água chega é necessário armazenar em potes e vasilhas e depois regrar o uso dentro de casa, pois a população não sabe quanto tempo o abastecimento vai durar.

A reportagem entrou em contato com a Agespisa, e segundo o superintendente Metropolitano da instituição, Orlando Aires, o órgão já tem conhecimento da reclamação e que o problema é causado devido a distribuição de água no local ocorrer por meio de poços tubulares, mas que assim mesmo a água chega todas as noites. Ele ressaltou que o problema será solucionado quando a Estação de Tratamento da Santa Maria da Codipi passar a operar. “A obra já está concluída e a inauguração deverá acontecer até o final do mês de agosto e a distribuição passará a funcionar normalmente”, avaliou.

Fonte: Waldelúcio Barbosa