População quer a volta da Lei Antifumo em Teresina

População quer a volta da Lei Antifumo em Teresina

Os donos de restaurantes, bares e outros estabelecimentos ainda não sabem direito o que fazer

Depois que a emenda do vereador Edson Melo (PSDB) ?derrubou? a Lei Antifumo da capital, alegando que a proposta da vereadora Rosário Bezerra (PT) teria sido mal formulada, as discussões acerca do consumo de cigarro em ambientes públicos ficaram acaloradas. Os donos de restaurantes, bares e outros estabelecimentos ainda não sabem direito o que fazer, mas a maioria parece não ser favorável à proibição do fumo em locais de uso coletivo, e pedem que a mesma volte a vigorar.

?Depois que a lei entrou em vigência, notei que os meus clientes ficaram mais conscientes em relação ao uso do cigarro. Afixei o aviso de proibido fumar, e quando algum deles desejava fazer o uso do cigarro, procurava áreas mais afastadas, até mesmo do lado de fora do estabelecimento. Na minha opinião, a lei foi positiva e tem que valer a proibição?, disse Ketia Redusino, gerente de um restaurante na avenida principal do Bairro Dirceu Arcoverde, na zona Sudeste da cidade.

Ketia afirmou que os fregueses também adquiriram o costume de consultá-la a respeito das áreas nas quais o uso do cigarro seria liberado. ?Ofereço um ambiente amplo e várias alternativas para que os fumantes não precisem ficar próximos de outras pessoas ao fumar os cigarros?.

Para justificar o posicionamento favorável à lei antifumo, outros proprietários citam também o incômodo que o cigarro causa ao modificar o sabor dos alimentos servidos, por exemplo. A população em geral também mostra-se a favor da lei em questão ? a dona de casa Almerinda Pereira conta que agradece todos os dias o fato de nenhum dos seis filhos ter o hábito de fumar.

?Vemos todos os dias na TV as notícias sobre os males que o cigarro causa. Não é uma coisa boa, e deveriam proibir logo de vez?, disse Almerinda. Se o projeto de Edson Melo for aprovado em segunda votação e, em seguida, for sancionado pelo prefeito Elmano Férrer, a decisão sobre a permissão ou não do fumo ficará a cargo dos proprietários dos estabelecimentos de uso coletivo, como restaurantes, churrascarias e outros.

Fonte: Dowglas Lima, Jornal Meio Norte