Por raiva, menina  inventa que foi estuprada pelo padrasto, diz polícia

Por raiva, menina inventa que foi estuprada pelo padrasto, diz polícia

Exames provam que garota era virgem e não estava grávida Jovem vai responder por ato infracional análogo a falsa comunicação

A menina que disse ter ficado grávida após um estupro cometido pelo padrasto mentiu para a polícia, segundo informou nesta quinta-feira (17) o delegado que investiga o caso, Elton Galindo. Ele mostrou o resultado do teste de gravidez feito na garota, que deu negativo, e disse ainda que um outro exame revelou que a jovem era virgem.

Pela manhã, conforme o delegado, a menina foi confrontada acerca dos resultados na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca). Ela confessou que havia inventado a história por raiva do padrasto, visto que ele era agressivo com a menina e os irmãos.

?Mentir para a policia pode gerar consequências graves, tanto para o inocente que foi acusado quanto para quem acusou falsamente?, afirma o Galindo. A jovem vai responder por ato infracional análogo a denunciação caluniosa.

O suspeito não responderá mais por estupro de vulnerável, como havia sido cogitado pela polícia, mas por maus-tratos em função da violência praticada contra as crianças. Ele tem um mandado de prisão em aberto por homicídio, crime pelo qual é condenado. O advogado do padrasto, conforme Galindo, disse que vai apresentar seu cliente na manhã de sexta-feira (18).

A mãe também será indiciada por maus-tratos, mas não será presa porque este é considerado crime de menor podencial ofensivo.

Ainda conforme o delegado, o caso será encaminhado para a Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude (Deaij), onde será encerrado e depois encaminhado ao Ministério Público. A garota pode ser encaminhada para uma Unidade Educacional de Internação (Unei) se a Justiça assim decidir.

Fonte: G1