Porco-espinho cai de poste e fere cabeça de mulher de 52 anos

Porco-espinho cai de poste e fere cabeça de mulher de 52 anos

Ela teve cerca de 200 espinhos fincados em seu couro cabeludo

Um porco-espinho despencou de um poste e feriu a cabeça de uma moradora da Gávea, na Zona Sul do Rio, na noite da última quarta-feira. A dona de casa Sandra Nabuco, de 52 anos, estava passeando com seu cachorro quando o incidente aconteceu. Ela teve cerca de 200 espinhos fincados em seu couro cabeludo e precisou ser encaminhada para o hospital Miguel Couto, no mesmo bairro, para receber ajuda médica.

- Foi um susto enorme. Eu estava caminhando com meu cãozinho na Avenida Marquês de São Vicente, na Gávea, perto do Instituto Moreira Salles, quando, do nada, senti um baque na minha cabeça. Olhei para o chão, vi um bicho. Coloquei a mão na minha cabeça e senti os espinhos. A dor era enorme - lembra Sandra.

Em seguida, a dona de casa conta que pediu ajuda a um porteiro de um prédio próximo. Nesse momento, eles viram o porco-espinho que a havia atingido passando por uma das grades da construção.

Depois, ela pegou seu animal de estimação e foi para casa.

- Eu pedi ajuda de vizinhos para procurar ajuda médica. Como na minha rua sempre tem um carro da Polícia Pacificadora estacionado, pedimos ajuda e os agentes me levaram até o hospital Miguel Couto.

Sandra diz que, na unidade de saúde, todos ficaram impressionados com o que havia acontecido com ela.

- Eu ainda estava meio desorientada. Fui atendida por cirurgião do plantão, que tirou os espinhos do meu couro cabeludo com uma pinça. Tudo sem anestesia. Eu e o médico paramos de contar a quantidade de espinhos quando chegamos em 150. Foram cerca de 200.

Depois de atendida, ela foi liberada e voltou para casa. Ela, agora, está tomando medicamentos, como antibióticos e antialégicos, para acelerar a cicatrização dos furos em seu couro cabeludo e evitar que esses infeccionem.

Através do Facebook, Sandra publicou uma foto de sua cabeça cheia de espinhos e impressionou internautas. Ela afirma ter feito isso para avisar ao filho que mora longe, e para alertar aos moradores da Gávea sobre possíveis acidentes como o dela.

- Eu sou uma mulher forte, se fosse um idoso ou uma criança, matava. Eu também me preocupo com os animais. Já haviam me contado que havia um casal de porcos-espinhos pela região, mas, até então, nunca o tinha visto.

Por ser uma região muito arborizada, a Gávea costuma ter animais silvestres, como pequenos micos e gambás, passeando por sua vegetação.

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde do Rio, que confirmou o caso, nos incidentes com ferimentos causados por esses animais, a orientação é que o paciente procure uma unidade de atendimento para ser medicado.

Fonte: Extra