Português de 73 anos é vítima de golpe milionário em Fortaleza

Atualmente, ele mora em um pequeno apartamento em Fortaleza.

O português José Carlos Cabrita Correa, de 73 anos, tenta se adaptar à nova vida. Há cinco meses, o empresário mora em um pequeno apartamento que tem apenas um quarto e um banheiro depois de ser vítima de um golpe de cerca R$ 1 milhão em Fortaleza. Um gerente de banco e um corretor de imóveis convenceram Correa a comprar imóveis e desapareceram com o dinheiro. A Polícia Civil prendeu o corretor de imóveis, de 46 anos, e o gerente.

?Nunca me passou isso pela minha cabeça. Preocupado sempre com a velhice, me mudei para ter uma vida tranquila. Nunca pensei que as coisas dessem uma "cambalhota" dessas?, conta Correa. O estrangeiro, que era dono de imóveis, discotecas, restaurantes, fábricas de cerâmicas em Portugal, mudou-se para Fortaleza em 2002 e morava em um flat na Avenida Beira Mar, área nobre da cidade. O português tinha uma conta de cerca de R$ 1, 5 milhão e passou a viver de renda. Os juros variavam de R$ 15 mil a R$ 17 mil por mês.

Segundo a Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), o golpe ocorreu em abril de 2011 quando o gerente da agência bancária do empresário convenceu o português a aplicar parte do dinheiro em compra de imóveis e outros investimentos. De acordo com a polícia, o homem em parceria com o corretor de imóveis que está preso ficaram com o dinheiro de Correa e não fizeram o investimento. ?O gerente dizia que estava tudo bem, que o terreno que eu comprei estava valorizando e avaliado em R$ 5 milhões?, afirma.

O caso era investigado em sigilo pela Polícia Civil e foi divulgado somente nesta semana. Segundo o delegado Jaime de Paula Pessoa, outras pessoas podem ter sido vítimas desse mesmo golpe em Fortaleza. ?Estamos divulgando e esperando a identificação de outras vítimas?.

O corretor foi indiciado por crime de estelionato, que prevê pena de um a cinco anos de prisão. O gerente também foi indiciado por estelionato, mas não teve a prisão decretada, de acordo com Jaime de Paula Pessoa.

Orientação

O Conselho Reginal de Corretores de Imóveis (Creci) informou que apura o caso e o que corretor de imóveis preso teve a inscrição cancelada desde novembro de 2009. O Creci orienta a população que exija do corretor a apresentação da carteira profissional. Para saber se o profissional está regular, o contratante pode ligar para (85) 3231 6744.

Fonte: G1