Prefeitura de Teresina atendeu esse ano mais de 100 pessoas em situação de rua

O objetivo principal desse projeto é ampliar o acesso e a qualidade da atenção integral à saúde da população em situação de rua.

A Fundação Municipal de Saúde, da Prefeitura de Teresina, mantém o programa Consultório na Rua, que disponibiliza atenção à saúde da População em Situação de Rua (PSR). Nos primeiros meses de 2015, a equipe do Consultório na Rua realizou 124 atendimentos, fez 53 contatos e/ou visitas institucionais para resolução e encaminhamento dos casos, realizou 62 testes rápidos de HIV, Sífilis, Hepatite B e C. Sem contar os procedimentos de enfermagem, acompanhamento em atendimentos médicos e internações.

Atualmente, o Consultório na Rua em Teresina atende 170 usuários, que estão cadastrados e em acompanhamento. O ponto de apoio do projeto de atenção à saúde da População em Situação de Rua é a Unidade Básica de Saúde da Vermelha, onde os profissionais que atuam no projeto se reúnem e de lá saem todos os dias para os atendimentos na rua no período da tarde.

“Muitos não querem deixar as ruas, mas para os que manifestam essa vontade nós fazemos todos os encaminhamentos necessários para a reinserção social”, explica Mayra Daniele Rodrigues Marques, coordenadora do Consultório na Rua.

Diariamente, a equipe percorre locais da cidade de maior vulnerabilidade realizando atividades educativas de saúde; fornecendo preservativos e realizando procedimentos de enfermagem, como curativos, vacinação e aferição de pressão arterial. Dependendo do caso, a pessoa pode ser encaminhada a uma equipe do Programa Saúde da Família que atenda nas proximidades do local, ou encaminhada aos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS).

A equipe do Consultório na Rua é multidisciplinar e formada por: um assistente social, uma psicóloga, uma enfermeira, três agentes sociais e redutoras de danos. O objetivo principal desse projeto é ampliar o acesso e a qualidade da atenção integral à saúde da população em situação de rua, sendo a atenção básica um espaço prioritário para o fortalecimento do cuidado e a criação de vínculo na rede de atenção à saúde, possibilitando sua inserção efetiva no SUS, tendo como porta de entrada prioritária na Atenção Básica (AB) as equipes do Consultório na Rua.

Fonte: Assessoria