Prefeitura e construtora brigam por entulho acumulado na Z.Sul

O proprietário chegou a ser multado pela prefeitura, mas apenas retirou o lixo do canto do muro.

Há pelo menos três semanas, os moradores do Condomínio João Emílio Falcão, na Avenida São Raimundo, zona Sul de Teresina, não têm uma vista muito agradável das suas janelas. Isso porque uma grande quantidade de entulho oriundo de construções se acumula naquela região. O lixo fica praticamente no meio da rua, obrigando os carros a desviarem.


Prefeitura e construtora brigam por entulho acumulado de obra na Z.Sul

Segundo os moradores, o entulho vem de uma construtora que fica próxima ao condomínio. O proprietário chegou a ser multado pela prefeitura, mas apenas retirou o lixo do canto do muro e o jogou na rua.

Um funcionário da própria construtora confirma a informação e diz que o patrão está aguardando o poder público retirar o entulho, pois ele seria oriundo de pequenas construções realizadas pelos moradores do João Emílio Falcão.

Por conta desse impasse, o proprietário da construtora já foi notificado novamente.

Enquanto a questão não é solucionada, os moradores sofrem com os transtornos. Para Francisco Lima, a situação é absurda e significa um retrocesso da cidadania.

?Com esse entulho no meio da rua existe o risco de um acidente, aumenta a poeira e ainda tem o aspecto visual. A rua fica parecendo uma cidade do interior sem administração?, afirma Francisco.

De acordo com a assessoria da SDU-Sul, uma equipe será enviada ao local para averiguar se o lixo é oriundo da construtora. Caso isso se confirme, ela será notificada.

Se o problema persistir, a empresa receberá uma multa e, em último caso, a prefeitura vai retirar o entulho, mas enviará a cobrança pelo serviço para a construtora.

Se, mesmo assim, a empresa não arcar com as despesas da retirada do entulho, poderá sofrer sanções administrativas, como ficar impedida de emitir notas fiscais ou concorrer em processos licitatórios. A reportagem do jornal Meio Norte não encontrou o proprietário da construtora.

Fonte: Nayara Felizardo