Prefeitura reforça a prevenção contra a dengue com o “carro fumacê"

A aplicação do inseticida é um trabalho paliativo.

Em mais um esforço de combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da Dengue, a Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Saúde (FMS) tem disponibilizado carros do tipo UBV Pesado (também conhecido como “fumacê”) para percorrer as zonas com maior incidência da doença.

O veículo circula durante o começo da manhã ou fim da tarde, horários em que o Aedes aegypti está mais ativo. Ele é equipado com um borrifador que lança no ambiente o Malathion, inseticida repassado pelo Ministério da Saúde que serve para reduzir a população adulta do mosquito. “Apesar do cheiro característico, o Malathion é totalmente seguro e não faz mal à saúde”, informa a gerente de Zoonoses da FMS, Oriana Bezerra.

Os critérios de prioridade na escolha dos bairros a receber o “carro fumacê” estão de acordo com os registros de maior incidência da dengue e de infestação do mosquito, constatados no último Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa).

Oriana Bezerra alerta, no entanto, que a aplicação do inseticida é um trabalho paliativo, pois elimina apenas a forma adulta do transmissor. “Só conseguiremos acabar com o mosquito da dengue se eliminarmos seus criadouros, pois evitamos seu nascimento e reprodução”, alerta. “Por isso pedimos que a população continue colaborando, evitando o acúmulo de água em qualquer tipo de recipiente, calhas, ralos, pneus e caixas d’água, entre outros”.

Números

No ano de 2015 até agora foram notificados 2.217 casos suspeitos de dengue em Teresina. Por conta deste número, a FMS tem elaborado diversas estratégias educativas e de fiscalização para eliminar o vetor da doença, com a colaboração de diversos setores da sociedade.

A população pode colaborar policiando sua própria casa e vizinhança, e se tornando agentes multiplicadores do conhecimento sobre a dengue. Além disso, pode informar a gerência de Zoonoses da FMS sobre imóveis abandonados, terrenos baldios e outras áreas com de potencial risco por meio dos telefones 3215-9143, 3215-9149 e 3215-7789.

Fonte: Assessoria