Prêmio Piauí de Inclusão Social chega à sua 5ª final segunda, 07

Realizado desde 2005, prêmio uma parceria entre Sistema Meio Norte e Governo do Estado

O ?Campeonato do Bem? chegou a sua final. E todos saem ganhando. Na próxima segunda feira acontece a entrega do Prêmio Piauí de Inclusão Social.

Realizado desde 2005, fruto de uma parceria entre o Sistema Meio Norte de Comunicação e o Governo do Estado, o projeto vem mostrando iniciativas realizadas por diversos setores da sociedade em prol da dignidade humana.

Ao todo, 27 iniciativas foram apresentadas nas páginas do Jornal Meio Norte e na TV Meio Norte, desde 23 de abril deste ano. O Prêmio é dividido em sete categorias. São 3 voltadas para a iniciativa privada representada por ?Grande Empresa?, ?Pequena Empresa? e ?Média Empresa?.

Outras duas categorias são para organizações: ?Organizações Governamentais? e ?Organizações Não-governamentais?. Há ainda prêmios nas categorias Empreendedores Individuais e Cooperativas.

De critério inicial para concorrer ao prêmio basta que as iniciativas sejam instrumentos que geram emprego e renda, além de possuírem um caráter eminentemente inovador.

?O prêmio tem como foco os empreendedores que fazem no seu dia a dia ações de inclusão, elevação de cidadania. Termina sendo um radar do bem, da construção da elevação da autoestima?, afirmou o consultor de jornalismo do Sistema Meio Norte de Comunicação, José Osmando de Araújo.

Para a organização do prêmio as iniciativas precisam inovar e ao mesmo tempo que são negócios criativos e lucrativos precisam também apostar cada vez mais em um Piauí que cresce, se desenvolve e tem amplos horizontes.

Estes novos horizontes não incluem somente a capital, já que vários municípios contam com iniciativas desenvolvidas pelos finalistas do Prêmio Piauí de Inclusão Social. Em Teresina, Parnaíba, e até mesmo projetos que abrangem o Estado todo, foram apresentadas na TV e Jornal Meio Norte iniciativas de sucesso comprovado na sociedade.

O ?Campeonato do Bem?, como muitas vezes é chamado o Prêmio Piauí de Inclusão Social, acaba virando uma grande corrente positiva de engrandecimento da cidadania. Segundo o consultor de jornalismo do Sistema Meio Norte de Comunicação, várias empresas se estruturaram em ações de responsabilidade social a partir das edições anteriores do prêmio.

?Os casos que o Jornal Meio Norte conta durante sete meses servem de incentivo de modelo para que outras pessoas também possam fazer a mesma coisa, formando uma corrente positiva que enaltece o Piauí?, comenta.



Escolha acontece de modo criterioso

A escolha dos projetos vencedores acontece depois da análise de vários meses de matérias produzidas e apresentadas no Jornal Meio Norte e na Tv Meio Norte.

Na chefia da Comissão Julgadora está a Fundação Cepro. O presidente da Fundação Cepro, Oscar de Barros, explica que todo o trabalho da comissão começou em abril deste ano.

?O processo começou no início de 2009, quando nos reunimos e montamos o regulamento, que este ano não mudou em relação ao ano passado, pois o Sistema vai publicando as matérias?, relata.

Após a publicação das matérias, todo o material é reunido e encaminhado à Fundação Cepro, que organiza a distribuição pelos demais membros da comissão julgadora.

?No final deste ano foram 27 matérias publicadas entregues à Cepro, que repassou aos outros membros da comissão julgadora: CUT, Sindicato dos Jornalistas, Embrapa, Secretaria do Trabalho, DRT, Sesc, Sest/ Senat, Sesi, APPM e UFPI?, explicou Oscar de Barros. A vantagem da organização, segundo o presidente da Cepro, é que a nota de cada organismo não é conhecida pelos outros.

?Cada organização nomeia um representante que atribui uma nota a cada matéria. O material é enviado à Cepro, que recolhe e tira a média e com as melhores notas é organizada a premiação?, detalha.

Osmar de Barros enfatiza que um dos aspectos mais bonitos do prêmio está no trabalho conjunto de vários atores sociais. ?É uma iniciativa interessante porque estimula o meio empreendedor a promover a inclusão social?, comenta.

Menção Honrosa

Além dos concorrentes, serão lembrados também nesta edição do Prêmio Piauí de Inclusão Social, organismos que têm uma atuação pela cidadania que transcende projetos e interfere de modo amplo na sociedade.

Este ano vão receber a menção honrosa no Prêmio Piauí de Inclusão Social, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc), o Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), a Fundação Museu do Homem Americano (Fuhdham), a Procuradoria Regional do Trabalho e a Ordem dos Advogados do Piauí (OAB-PI).

A Seduc figura entre os escolhidos para a Menção Honrosa, principalmente por duas ações desenvolvidas: o programa Olhar Brasil e o Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos.

O Olhar Brasil já beneficiou 55 mil pessoas em 212 cidades e o programa de Jovens e Adultos está presente em todos os municípios do Estado. Já a Fumdham foi escolhida por contar com uma vasta política de promoção de pessoas portadoras de deficiência adaptando 16 sítios arqueológicos para visitação.

A lembrança para Menção Honrosa estende-se à Procuradoria Regional do Trabalho por sua ativa e permanente atuação no combate ao trabalho escravo e infantil; ações em defesa do meio ambiente e garantias trabalhistas para pessoas com deficiência.

Também foi lembrado o CEIR, pelo fundamental trabalho de implantar um modelo de políticas públicas adotado pelo Estado e apontado como exemplo para o Brasil.

A OAB recebe menção honrosa pelo dignificante trabalho da Comissão dos Direitos das Pessoas com Deficiência, que garantem os direitos dessas pessoas em todas as esferas da sociedade.

Projetos como o OAB na Escola também levam inclusão ao disseminar informações sobre Cidadania em escolas públicas do Estado, fazendo com que crianças e jovens conheçam seus direitos e se tornem cidadãos mais exigentes.

Homenageados falam da importância do prêmio

Na secção Piauí da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PI), o sentimento por receber a menção honrosa é de profunda alegria. ?A OAB recebe esta premiação como reconhecimento pelo papel que ela desempenha na sociedade. Várias iniciativas da Ordem fogem de um viés apenas corporativo, para ter um reflexo positivo na sociedade.

É muita alegria receber um prêmio tão importante como o Prêmio Piauí de Inclusão Social?, comentou o presidente eleito da OAB-PI, Sigifroi Moreno.

Na Seduc a festa é semelhante por estar entre os que vão receber a menção honrosa. ?Essa é uma das razões de existência da Seduc, porque a educação é uma forma de inclusão.

É muito importante, já que estamos colhendo os frutos da existências através do ato da educação e outros projetos, como a inclusão de portadores de necessidades especiais, a ação voltada para a educação do campo e educação contextualizada?, enfatizou a superintendente institucional da Seduc, Maria Xavier.

Para o consultor de jornalismo do Sistema Meio Norte de Comunicação, José Osmando, a menção honrosa é um reconhecimento à ação transversal que todos estes órgãos desempenham no dia a dia.

?São instituições que independente do julgamento são vistas pela coordenação do prêmio e pelo sistema que tem uma prática permanente de inclusão social, de responsabilidade social, de contribuição para que a sociedade diminua as suas injustiças?, afirmou José Osmando, acrescentando que todos estes órgãos são profundamente merecedores da honraria.

A vontade de continuar, de acordo com o consultor de jornalismo, vem da sociedade que estimula todos os participantes do Prêmio Piauí de Inclusão Social. ?Esse olhar que nós temos sobre o que a sociedade faz é o mais bonito.

O mais importante é saber que a cada ano nos sentimos mais estimulados a continuar e a sociedade está engajada em continuar?, destacou.

Fonte: Carlos Rocha, Jornal Meio Norte