Prêmio Piauí Inclusão Social 2013: Judô coloca jovens no caminho da cidadania no PI

Prêmio Piauí Inclusão Social 2013: Judô coloca jovens no caminho da cidadania no PI

O projeto desenvolvido na zona Sul de Teresina envolve crianças e jovens no esporte, tirando-os da ociosidade

Há quatro anos as crianças e adolescentes carentes da zona Sul de Teresina têm uma alternativa a mais para não enveredar pelo caminho da marginalidade. A vontade de ajudar, junto com uma boa dose de solidariedade, levou o professor de judô Werberton Gomes a criar o projeto Judô Shalom, que hoje atende 120 pessoas.

O professor explica que uniu sua paixão pelo judô com a necessidade das crianças e adolescentes da zona Sul de Teresina de exercer uma atividade para sair da ociosidade. ?Eu percebia que as crianças e adolescentes ficavam ociosos, principalmente no turno da noite, nas praças do bairro Promorar, sendo alvos fáceis da criminalidade, e decidi criar esse projeto justamente no turno da noite?, disse.

O projeto acontece das 18h às 20h, no Núcleo de Atendimento Intergeracional, no bairro Promorar. O projeto nasceu para atender crianças e adolescentes, mas hoje até adultos já foram atraídos pelo Judô Shalom. Ele atende pessoas de baixa renda, de escolas públicas, e algumas com problemas familiares, com pais envolvidos com o mundo das drogas. ?Hoje, depois de quatro anos de projeto, nós o avaliamos como algo que deu certo. Os resultados são muito bons, hoje nós temos casos de pessoas que conseguiram sair do mundo das drogas e isso é muito positivo?, avalia Werberton.

O Judô Shalom tem uma parceria com a Igreja do Evangelho Quadrangular, o que dá ao projeto um caráter espiritual bastante presente no dia a dia das pessoas que participam dele. O professor explica que, com isso, é mesclada a filosofia esportiva com os ensinamentos bíblicos. ?Nós discutimos vários assuntos importantes como sexualidade, criminalidade, drogas, tudo à luz das escrituras bíblicas?, afirmou. Com isso, o objetivo do projeto é formar cidadãos de bem e não apenas atletas.

Mas mesmo com resultados tão positivos e já tendo conquistado as comunidades da zona Sul da cidade, o projeto ainda funciona em um espaço precário, cedido pela Prefeitura Municipal de Teresina e sem muito apoio financeiro.

Para ir para competições, os atletas do projeto precisam arrecadar o dinheiro necessário junto às suas famílias, salvo algumas exceções que já contam com patrocínio.

Projeto expande e é levado à Vila da Paz

Além do bairro Promorar, a vila da Paz, também na zona Sul de Teresina, agora conta com o projeto Judô Shalom.

O projeto ainda funciona no local de forma precária, mas já cumpre com a sua proposta de inserir crianças e adolescentes na prática esportiva e afastá-las da marginalidade. Há cerca de um mês no local, o projeto já conta com 80 crianças e adolescentes que viram no esporte uma forma de sair da ociosidade.

Werberton explica que há algum tempo ele queria expandir o Judô Shalom dentro da zona Sul, para outra comunidade e decidiu pela vila da Paz, após realizar um mapeamento pela região para descobrir qual o bairro mais necessitava do projeto. ?Nós preferimos atuar naqueles locais aonde a Prefeitura não chega, aonde nenhum outro projeto quer ir. E escolhemos a Vila da Paz por perceber que nesse local há muitas crianças enveredando pela criminalidade, pelo tráfico de drogas?, explicou.

O projeto ainda está no início e ainda enfrenta dificuldades. As crianças não têm quimono e treinam em apenas oito placas de tatame, que foram trazidas do Núcleo de Atendimento Intergeracional, no Promorar, onde já funciona o Projeto Judô Shalom. O projeto funciona dentro da igreja. ?Eu cresci na zona Sul e sei como funciona isso aqui. Se as crianças não tiverem nada por que se apaixonar fica difícil. Essa é uma forma de deixar os pais mais tranquilos?, disse.

Judô é forte aliado na educação dos jovens

Não são apenas as crianças que festejam a existência do Judô Shalom, os pais também ficam felizes de saber que seus filhos estão envolvidos em uma atividade extra. Maria do Carmo de Jesus matriculou o filho há cerca de um mês no projeto que funciona no Promorar e diz que se sente mais tranquila de saber que seu filho está ocupando seu tempo com algo tão positivo.

?Ele sempre gostou muito de esporte e decidi colocá-lo no judô. Antes ele ficava pedindo para brincar na rua, agora na hora de ir pra rua ele vem para o judô. Isso me deixa bem mais tranquila, pois enquanto ele está aqui, ele não está na rua?, disse a mãe de Gabriel Santos da Silva, de 9 anos. Eles são moradores do bairro Santo Antônio, também na zona Sul, nas proximidades do bairro Promorar.

Henrique Marques Vieira, hoje com 17 anos, conta que entrou no Judô Shalom desde o início do projeto e aprendeu muito nesses anos. ?Minha vida mudou muito desde que entrei aqui, na família, na escola, na sociedade. O judô me abriu muitas portas. Hoje eu sou professor desse esporte?, disse.

Projeto já tem campeões nacionais

Um dos frutos do projeto Judô Shalom é a atleta Elenilda da Silva Pereira, de 13 anos. Ela começou no projeto com nove anos de idade e hoje já coleciona bons resultados conseguidos em competições nacionais e locais. Nesse final de semana ela vai para mais uma competição nacional, o Campeonato Brasileiro de Judô, que acontece em Manaus, nos dias 5 e 6 de outubro.

A atleta vem de uma vitória nos Jogos Escolares Brasileiros, que aconteceram em Natal, no início desse mês. Caso ela tenha um bom resultado em Manaus, ela irá para o Chile disputar o Pan-Americano. ?Os jogos escolares que ela venceu em Natal é uma das competições mais difíceis da categoria dela, no Brasil. Por isso estamos confiantes em um bom resultado em Manaus, para que possa ir ao Chile?, afirmou o professor de Judô Werberton Gomes.

A menina, de 13 anos, já tem discurso de campeã e afirma que está treinando para trazer mais um bom resultado para o Piauí. ?Não é fácil participar dessas competições, tem que treinar muito. Se for pra não treinar, melhor nem viajar pra competir?, disse.















Fonte: Pollyana Carvalho