Prêmio Piauí Inclusão Social 2013: MP3 oferece robótica e atrai jovens em Teresina

Prêmio Piauí Inclusão Social 2013: MP3 oferece robótica e atrai jovens em Teresina

Tendo o tráfico de drogas como a principal barreira a ser superada, o MP3 vem há anos atuando na busca do desenvolvimento dos jovens

O Movimento Pela Paz na Periferia (MP3) há anos busca a inclusão digital de jovens da periferia de Teresina, através da oferta de cursos gratuitos. Este ano, o movimento deu um salto de qualidade e passou a ofertar o curso de Robótica, que tem atraído muitos jovens pela possibilidade de ingressar no mercado de trabalho com uma renda mensal bastante atrativa.

Segundo o coordenador do MP3, Francisco Júnior, um dos maiores rivais do movimento MP3 nas periferias de Teresina é o tráfico de drogas. Ele explica que o fato de o tráfico proporcionar uma renda bastante atrativa para estes jovens, eles acabam optando por enveredar por esse caminho e deixam de lado a ideia de entrar no mercado de trabalho.

O curso de Robótica surge como alternativa para que esses jovens também consigam uma boa renda mensal, sem precisar enveredar pela criminalidade.

?A disputa entre o tráfico e o MP3 é bastante acirrada e o movimento está perdendo essa briga, mas estamos fazendo nossa parte. Esses jovens têm capacidade e inteligência, mas ela acaba sendo usada para o tráfico, pois as políticas públicas que deveriam ser voltadas para eles não existem e por isso acaba restando a eles o crime como opção.

O que nós queremos é trazer essa inteligência para ser usada no curso de Robótica ou em outro curso escolhido por eles, dentro do MP3?, afirmou.

O curso de Robótica iniciou como projeto piloto no início do ano e agora já irá para sua segunda fase. Ele conta hoje com 80 alunos. Para o professor do curso, Pablio Carvalho, essa é uma forma de estes jovens, mesmo sem ter oportunidades de frequentar uma boa faculdade, fazer tecnologia.

?A tecnologia só chega até nós atrasada e precisamos começar a acabar com isso. O curso é importante para dar esse conhecimento aos alunos?, disse.

Foi pensando em adquirir esse conhecimento e conseguir uma renda maior no final do mês que o jovem Cosmo Pereira de Sousa escolheu cursar Robótica no MP3. ?Já fiz o curso de Montagem e Manutenção de Computadores, quando cheguei ao MP3 no início de 2013 e depois acabei me interessando pelo curso de Robótica e já estou cursando?, argumentou.

O curso de Robótica envolve conhecimentos de eletrônica, Circuitos Integrados e Códigos c (programa). Ao final desse curso, os alunos terão domínio em eletrônica e já podem desenvolver projetos com placas micro-controladoras.

MP3 expande para outros bairros periféricos da cidade

Além da sua sede, localizada no bairro São Pedro, o MP3 chegou a dois bairros da cidade de Teresina. Quem mora no Promorar, na zona Sul da capital, e no Residencial Jacinta Andrade, na zona Norte, agora já conta com os cursos ofertados pelo Movimento mais próximos de suas casas.

Ao Jacinta Andrade, o MP3 chegou no mês de janeiro deste ano, e ao Promorar no mês de junho. Segundo o coordenador técnico da Fábrica de Meta Reciclagem (EMR), Nelson Chaves, a expansão do MP3 surgiu da necessidade de estar mais próximo do público alvo do movimento. ?Nosso público é o jovem dito excluído e se eles não vêm até nós, nós vamos até eles. Nosso objetivo é sempre recolher o jovem e prepará-lo para o mercado de trabalho?, disse.

A aceitação do público ao movimento nestes locais foi bastante positiva, segundo avalia a coordenação do MP3. Em cada um dos bairros, o movimento já conta com 160 alunos.

Além dessas duas novas regiões da cidade, o movimento pretende ir ainda para outros pontos, como Dirceu e Renascença, na zona Sudeste, e Santa Maria da Codipe, na zona Norte. O objetivo é que ele chegue em um prazo máximo de um ano a estes locais. ?Onde a periferia está, nós queremos ir?, afirmou Nelson.

Movimento precisa de ajuda para custear passagem dos alunos

Apesar de os cursos ofertados pelo MP3 serem todos gratuitos, o movimento ainda tem dificuldade em manter muitos de seus alunos nas salas de aula. O principal problema é custear as passagens destes jovens, que, por serem de famílias carentes, não têm condições financeiras de pagar suas passagens.

?Nós gostaríamos que a sociedade nos ajudasse a manter esses alunos no MP3. Se cada pessoa adotasse um dos nossos alunos, não custaria muito a quem fizesse isso, mas faria diferença na vida desses jovens. Nós não queremos recorrer ao poder público, pois sabemos que essas parcerias nunca funcionam. Eles podem até se comprometer a ajudar, mas com o tempo acabam abandonando essa ideia?, disse Júnior.

Leonardo José Silva de Sousa, de 21 anos, é um dos jovens que quer fazer os cursos oferecidos no MP3, mas tem dificuldades financeiras de custear as passagens de ida e volta ao local. Ele afirma que deseja ingressar no curso de Informática e de Montagem e Manutenção de Computadores. ?Quero fazer esse curso para ter uma oportunidade de emprego e assim ter uma renda no final do mês, mas como não trabalho, fica complicado vir até o MP3 nos dias do curso, por causa do preço das passagens?, lamentou.

?Ele quer muito fazer o curso, para ter conhecimentos para poder trabalhar com isso, mas está difícil, por causa das passagens. Nós queríamos muito a ajuda de alguém que pudesse custear essa despesa?, completou a irmã de Leonardo, Silvina Maria Silva de Sousa.

Fonte: Pollyana Carvalho