Prêmio Piauí Inclusão Social: Modificando vidas através da dança; Bolshoi escolhe 5

Prêmio Piauí Inclusão Social: Modificando vidas através da dança; Bolshoi escolhe 5

Dançar em uma das maiores companhias do mundo é o sonho que muitas crianças piauienses têm realizado com o projeto Escola Bolshoi Brasil

Ser um bailarino reconhecido, brilhar nos palcos de todo o mundo e encantar plateias através da dança é o sonho de muitas crianças e adolescentes que veem esses planos desparecerem por falta de condições financeiras para se manter em escolas de balé.

Entretanto, esse sonho vem sendo concretizado há alguns anos pela Escola Bolshoi Brasil, que através da Lei de Incentivo à Cultura, conhecida como Lei Rouanet, e convênios entre prefeituras e estados, vem oferecendo bolsas integrais para alunos de escolas públicas de todo o país, proporcionando que estes iniciem uma carreira de sucesso em uma das maiores companhias de dança do mundo.

O Bolshoi Brasil já modificou a vida de muitos jovens, dentre eles a bailarina piauiense Francielly Farias. Ela viu seu sonho ser realizado em 2007, quando foi selecionada para receber uma bolsa integral e integrar a turma de alunos daquele ano. ?Meu sonho foi realizado por acaso.

Uma aluna ficou doente e teve que retornar ao Piauí, os professores do Bolshoi vieram novamente ao Estado para selecionar alguém para ocupar a vaga, e eu fui a escolhida?, contou.

Formada pela escola em 2011, Francielly já viajou por todo o Brasil apresentando espetáculos de dança. A piauiense aprendeu balé clássico, dança contemporânea, teatro e atividades circenses, responsáveis por enriquecer sua bagagem cultural, tornando-a uma aluna disciplinada.

?Era uma vida totalmente nova e diferente da minha realidade no Piauí.

Passei cinco anos vivendo experiências únicas, aprendendo a ter mais disciplina e compromisso, já que a nossa rotina possui atividades o dia inteiro. Pela manhã eu estudava e à tarde ia para o Bolshoi e quando tínhamos algum espetáculo, ensaiávamos depois das aulas?, contou.

A bailarina, hoje professora da Escola de Dança do Estado do Piauí, conta ainda que o Bolshoi modificou sua vida, proporcionando uma nova perspectiva de vida.

?Hoje eu vivo da minha arte e consegui realizar o meu sonho e da minha mãe, que sempre quis ser bailarina mas não tinha condições financeiras, através do Bolshoi.

No final do ano pretendo dançar em companhias de outros países, e isso só será possível porque o Bolshoi me escolheu há seis anos para realizar meu sonho?, disse.

Casa Piauí abriga alunos do Estado


Prêmio Piauí Inclusão Social: Modificando vidas através da dança; Bolshoi seleciona cinco sonhos no Piauí

Os alunos que recebem a Bolsa Integral para estudar no Bolshoi ficam hospedados na Casa Piauí, mantida pela Prefeitura de Teresina e governo do Estado do Piauí. Como a faixa etária é sempre de 09 a 11 anos, é enviada uma pedagoga, chamada de mãe social, responsável pela educação e rotina da casa.

A professora Socorro Nogueira foi a escolhida pra ser mãe social dos pequenos piauienses. Ela, que é solteira e não tem filhos, compartilha os sonhos de muitas crianças, que sem aquela oportunidade teriam um futuro totalmente diferente.

"É uma rotina de família normal, e eles me veem como mãe deles, até porque estão longe de casa e só falam com a família uma vez por semana. Na hora que a saudade aperta temos uns aos outros para superar a distância", contou.

A professora afirma ainda que tudo na casa é decidido de forma coletiva e o diálogo é essencial para manter um bom relacionamento. "Eles precisam principalmente de carinho. Uma vez por semana nós conversamos para saber o que incomoda na convivência e buscar soluções.

As nossas regras são decididas em conjunto, mas como o próprio balé já disciplina eles, o convívio é tranquilo. O ruim é só a saudade da turma quando se forma, mas estamos sempre mantendo contato pela internet".

A aluna Francielly Farias conta que a convivência na casa proporciona a criação de um vínculo afetivo, ajudando nos momentos em que a saudade de casa aperta. "Senti muita falta de casa, mas estava realizando um sonho e dava pra suportar.

Conquistei irmãos na escola, e apesar de cada um estar seguindo carreira em outros Estados e países, estamos sempre mantendo contato por telefone e redes sociais. Realizei meu sonho e ganhei uma nova mãe e irmãos", disse Francielly.

Bolshoi seleciona cinco sonhos no Piauí


Prêmio Piauí Inclusão Social: Modificando vidas através da dança; Bolshoi seleciona cinco sonhos no Piauí

Os novos alunos do Bolshoi Brasil são escolhidos através de seleção feita em meio à aula de educação física. Para o aluno ser escolhido entre tantos, são levados em consideração a flexibilidade, coordenação motora e o seu biotipo

Quando uma turma é formada em Joinville, Santa Catarina, os professores e técnicos do Bolshoi Brasil embarcam para Teresina em busca de novos talentos e consequentemente novos sonhos. Os professores de educação física das escolas da rede estadual selecionam os alunos que têm mais aptidão para participar da seletiva.

Conforme explica a coordenadora de seleção do Bolshoi, Sylvana Albuquerque, para o aluno ser selecionado são levados em consideração a flexibilidade, coordenação motora e biotipo do aluno.

?Durante a primeira etapa da seleção verificamos a flexibilidade dos alunos, pois não procuramos bailarinos, mas aqueles que estão aptos para o balé. Aqueles que são selecionados passam para próxima etapa, que é a avaliação cognitiva, e no final da tarde são escolhidos os que se adequaram aos requisitos?.

A seletiva que aconteceu no inicio deste mês veio em busca de cinco talentos para formar a nova turma do Bolshoi.

?São oito anos de curso, então só escolhemos alunos quando surgem vagas para os Estados parceiros. Como uma nova turma foi formada, abriram cinco vagas para o Piauí, e dependendo do desempenho, as cincos vagas podem ser ocupadas ou não?, explicou Sylvana Albuquerque.

Geovana e Karolina e a alegria de ser pré-selecionada


Prêmio Piauí Inclusão Social: Modificando vidas através da dança; Bolshoi seleciona cinco sonhos no Piauí

Cursando balé durante um ano, Giovana viu seu sonho desaparecer quando a mãe não teve mais condições de bancar o curso.

A estudante da escola Melve Jones, quando soube da oportunidade de estudar balé em uma das maiores escolas do ramo, não pensou duas vezes e participou das seletivas realizadas na escola, sendo aprovada também na primeira etapa avaliada pelos professores do Bolshoi.

?Me interessei por balé quando vi minha tia dançando, e tenho certeza que serei uma grande bailarina como ela?, disse a pequena Giovana.

Unidas através de um sonho, a pequena Ana Karolina Nascimento compartilhou com Giovana a alegria de ser aprovada no teste de flexibilidade. Karol nunca teve aulas de balé, mas acredita que a dança vai mudar sua vida.

?Sei que ainda tenho outra etapa pela frente, mas caso não seja aprovada vou continuar tentando, o importante é não desistir dos nossos sonhos?, afirmou.

A professora Elizabeth Oliveira conta que a pequena Karolina sempre foi decidida e aplicada na escola e não tem medo de lutar pelo o que acredita.

?Nós já explicamos para ela que existia a possibilidade dela ir embora, e ela mostrou que não tem medo de lutar pelo seu sonho. Estamos torcendo para que ela consiga, pois é uma oportunidade única e um ?passaporte? para uma nova vida?.

Talento descoberto por acaso

Carlos Eduardo nunca imaginou ser bailarino, mas quando surgiu a oportunidade de participar da seletiva realizada pelo Bolshoi, em Teresina, viu nascer uma grande oportunidade de mudar sua vida para sempre. Como os professores buscam por alunos com flexibilidade e aptidão para dança, Carlos Eduardo atendeu as exigências e foi aprovado na primeira etapa.

?Quando a professora foi na minha escola, eu expliquei que nunca tinha dançado, mas atendi aos requisitos e fui aprovado. Confesso que até fiquei surpreso, mas conversei com a minha mãe e ela disse que eu poderia ir embora, pois será a grande oportunidade da minha vida?, contou.

Alexsandro nasceu para brilhar


Prêmio Piauí Inclusão Social: Modificando vidas através da dança; Bolshoi seleciona cinco sonhos no Piauí

A dança está presente na vida da família de Alexsandro Pereira desde sempre. Com a mãe e a irmã bailarinas, o menino de 11 anos aprendeu a amar a arte cedo. O talento e o dom são perceptíveis até no modo como ele anda. O talento é tanto que ele já ganhou até uma bolsa para cursar balé em uma das maiores companhias de dança de Teresina.

?Comecei com a dança contemporânea, mas a dança clássica sempre me fascinou. Quando recebi a bolsa para estudar balé, senti que meu sonho estava se realizando, porém, quando soube que o Bolshoi estava selecionando novos alunos, conversei com a minha mãe, e ela disse que eu podia fazer o teste, agora que fui arpovado na primeira etapa, sinto que meu sonho será realizado?, contou Alexsandro.

A mãe de Alex fez questão de acompanhar a seletiva e estava torcendo pelo filho, pois reconhece a importância da bagagem cultural que vai adquirir na escola, tornando Alex uma pessoa melhor.

?Aptidão e dom ele tem de sobra. Torço muito para que meu filho siga carreira na dança, pois é o sonho dele e o meu também. Confesso que a distância vai ser a parte mais difícil, mas vou suportar, pois sei que ele vai estar muito feliz?, disse Carina Amorim.

O Bolshoi Brasil forma não apenas bailarinos, mas vencedores. Vidas são modificadas através da dança, caminhos de sucesso são trilhados por jovens de origem humilde, mas que tiveram a oportunidade de mudar sua realidade realizando um sonho.

Hoje os bailarinos que compõem as maiores companhias de dança do mundo tiveram no Bolshoi a oportunidade de renascer através da arte.

Fonte: Gisele Alves