Problema com matagal em depósito da Polinter perdura há décadas

Problema com matagal em depósito da Polinter perdura há décadas

A aparência de abandono contrasta com veículos em bom estado que se encontram no pátio.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA SEXTA-FEIRA (02) DO JORNAL MEIO NORTE

Quem passa pela região do Grande Dirceu pode constatar uma questão que há anos continua sem solução: a situação do depósito da Polinter. Já foram inúmeros pedidos de melhorias, contudo, poucas ações efetivas foram realizadas. Para os pedestres e motoristas que trafegam nas proximidades a noite fica o medo de que algum delinqüente esteja escondido na mata, apesar de que o espaço tem vigilância 24 horas, a escuridão é outro ponto que incomoda. A aparência de abandono contrasta com veículos em bom estado que se encontram no pátio. Nesse desenlace sobram questionamentos e faltam respostas.

No âmbito de reclamações e pedidos de medidas, alguns funcionários da Polinter, denunciaram anonimamente, condições deficitárias também no escritório, como o atraso na verba para material de limpeza, o que estaria ocasionando dificuldades na higiene do local, contudo o delegado adjunto Carlos André desmente o fato. ?Não tenho informações sobre isso?, diz. O titular Riedel Batista rechaça os boatos e informa que tudo está dentro da normalidade. ?Estas denúncias não procedem, não estamos enfrentando empecilhos nesta questão?, destaca.

Apesar disso, Batista admite que o matagal no depósito é uma dificuldade a ser resolvida. ?Há 20 anos que está daquele jeito, fazemos o que está ao nosso alcance, mandamos capinar constantemente. Quanto a limpeza sempre estamos solicitando ajuda para a Prefeitura?, diz. O delegado ainda confessa que acompanha o problema de perto e busca fazer o melhor para que não haja qualquer tipo de transtorno.

O vigilante Fernando de Aquino, trabalha há 15 anos no depósito e afirma que este é o único ponto que exige emergência em ser resolvido. ?Tem muito mato e cresce rápido, aqui não falta água, nem tem problema em relação a higiene. Apenas isso incomoda?, conta. O trabalhador ainda garante que seis profissionais realizam um revezamento para garantir a segurança no local e que ações de vândalos são minadas. ?Aqui não tem isso?, completa.





Fonte: Francy Teixeira