Procissão de Bom Jesus dos Passos atrai milhares em Oeiras

A Procissão de Bom Jesus dos Passos marca o início das celebrações católicas da Semana Santa em Oeiras

Contagiado pela emoção dos fiéis, o governador Wellington Dias participou, na tarde dessa sexta-feira (26), da Procissão de Bom Jesus dos Passos, em Oeiras. O ato, realizado desde 1856, é considerado a maior manifestação religiosa do Piauí, reunindo milhares de pessoas em oração e reflexão. A Procissão de Bom Jesus dos Passos marca o início das celebrações católicas da Semana Santa em Oeiras e integra o calendário de eventos relacionados ao turismo religioso.

Acompanhado do vice-governador Wilson Martins e do prefeito de Oeiras, B. Sá, o governador compareceu, inicialmente, à secular Igreja de Nossa Senhora do Rosário, ponto de partida da Procissão de Bom Jesus dos Passos. Religiosidade e tradição, portanto, combinadas desde o início, já que a Igreja de Nossa Senhora do Rosário - um dos principais pontos turísticos de Oeiras - foi construída por escravos há mais de 200 anos.

As autoridades se misturaram à multidão vestida de roxo como gesto de penitência e identificação com Bom Jesus dos Passos. Muitos romeiros vieram de outras cidades piauienses e outros estados para acompanhar o cortejo liderado pelo bispo de Oeiras, Dom Juarez Sousa. Junto à primeira capela, erguida em via pública, o Primeiro Passo da Paixão de Cristo. O bispo falou sobre a necessidade da conversão do coração do ser humano ao amor a Deus e ao próximo.

Caminho espiritual

A procissão seguiu pelas ruas do Centro, onde aconteceram os rituais referentes aos segundo e terceiro passos. Na tradição católica essa manifestão tem origem na Idade Média, na Europa, onde os cruzados que visitaram os locais sagrados de Jerusalem, por onde andou Jesus a caminho do martírio, decidiram reproduzir espiritualmente esse caminho ? a Via Sacra ? em seus países de origem.

Em Oeiras, junto a pequenas capelas situadas em pontos estratégicos, o cortejo era interrompido para mais orações e pregações. Uma jovem entoava cânticos em latim e português, representando a personagem bíblica Maria Beú, que enxugou o rosto de Cristo na Via Crucis. Ela desfraldava um pergaminho com a imagem da face de Jesus. A simbologia da celebração fortalece a devoção dos fiéis, que seguiam o andor com a enorme imagem de Cristo curvado pelo peso da cruz.

O encerramento se deu junto ao Paço Municipal, ponto de encontro das imagens de Bom Jesus dos Passos e Nossa Senhora das Dores. Dom Juarez Sousa fez então a celebração que tem como ponto alto o Sermão do Encontro, diante do gigantesco público que se espalhou pelas ruas e pela Praça da Vitória. Para a Igreja Católica é um dia de grande importância espiritual pois simboliza o momento em que Cristo se recolhe no Monte das Oliveiras.

Fonte: CCOM, www.pi.gov.br