Produtora divulga vídeo do beijo lésbico que gerou polêmica e expulsão em culto de Feliciano

Produtora divulga vídeo do beijo lésbico que gerou polêmica e expulsão em culto de Feliciano

Garotas disseram que foram agredidas pelos guardas durante confusão.

A produtora de vídeo contratada para captar imagens do Glorifica Litoral, realizado em São Sebastião (SP), onde o pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) mandou prender duas jovens que se beijaram na noite do último domingo (15), divulgou em sua página no Youtube um vídeo que mostra o momento que gerou toda a polêmica durante a pregação do religioso.

O vídeo de pouco mais de seis minutos e meio, publicado nesta terça-feira (17), contém trechos das apresentações musicais do evento gospel e por volta do minuto quatro, momento em que o pastor inicia sua fala, é mostrado a cena das jovens se beijando e em seguida o pedido de Marco Feliciano de prendê-las.

As jovens de 18 e 20 anos de idade que dizem ser namoradas foram expulsas do evento depois de se beijarem durante a pregação do deputado como forma de protesto. Após acionar a segurança, Feliciano afirmou que elas "não têm respeito ao pai, à mãe e à mulher". "A Polícia Militar que aqui está, dê um jeitinho naquelas duas garotas que estão se beijando. Aquelas duas meninas têm que sair daqui algemadas. Não adianta fugir, a guarda civil está indo até aí. Isso aqui não é a casa da mãe joana, é a casa de Deus", disse Feliciano para o fiéis presentes.

Após terem sido removidas à força e algemadas por pelo menos seis guardas-civis municipais, por volta das 23h, as jovens foram encaminhadas para a delegacia. No caminho, elas afirmaram que foram agredidas pelos guardas. O advogado das jovens, Daniel Galani, disse que vai abrir uma ação para apurar os responsáveis pela agressão.

Outro lado

Em entrevista à TV Vanguarda, Marco Feliciano disse que a atitude das jovens foi um desrespeito ao culto religioso, ministrado por ele. ?Aquilo é desrespeito. Com isso eles me fortalecem e se enfraquecem, porque qualquer pessoa de bem sabe que em um ambiente religioso não é lugar de fazer o que aquelas pessoas fizeram. Eu lido de maneira natural e eles deveriam ter um pouquinho mais de juízo e me esquecer?, disse Feliciano após o término do culto. Como o deputado Feliciano tem foro privilegiado, ações desse tipo acabam sendo encaminhadas para o Supremo Tribunal Federal, para só depois chegarem ao político.

Já a Prefeitura de São Sebastião informou que abriu uma investigação para apurar se houve excessos por parte dos guardas que estavam no local de plantão. Segundo a prefeitura, a Guarda Civil Municipal agiu inicialmente conversando com as manifestantes na tentativa de retirá-las do local com segurança.

Fonte: G1