Programa deixa escolas mais seguras com alunos disciplinados e distantes das drogas

Programa deixa escolas mais seguras com alunos disciplinados e distantes das drogas

Em uma sociedade cada vez mais ameaçada pelas drogas, o empenho em afastar os jovens dessa ameaça tem sido grande nos mais diversos setores. O PROERD, realizado pela PM em parcerias com escolas e fam

Escola mais segura, alunos mais disciplinados e menos propensos ao mundo das drogas. Esses são alguns dos benefícios do PROERD (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência), que hoje está em 82 escolas em todo o Piauí e deve formar, este ano, a exemplo do ano de 2013, cerca de 10 mil meninos e meninas.

O PROERD é um programa educacional desenvolvido em algumas escolas piauienses, através de uma parceria entre escola, Polícia Militar e família de alunos, em que professores, alunos, policiais e pais interagem, pedagogicamente, no processo ensino-aprendizagem, buscando, em trabalho extracurricular, a formatação de uma rede protetiva, que viabilize a potencialização de grupos sociais sadios, buscando a perspectiva de um amanhã digno sem drogas nem violência.

O programa consiste em 50 minutos de aula, uma vez por semana, ministrada por um instrutor Proerd. Ao longo da execução do programa na escola, são trabalhadas 12 lições, com temáticas diferentes, como álcool, cigarro, drogas ilícitas, bullying, lições de cidadania, bases da amizade, dentre outros, com a ajuda de uma apostila que é entregue aos alunos no primeiro dia de palestra. Ao final das 12 lições, a criança ou adolescente recebe o certificado de Criança Proerdiana.

“Nossos instrutores são policiais, que realizaram curso de formação com o objetivo de se capacitar para isso. A escola ganha muito, pois vai ter um policial fardado dentro da instituição e ainda terá alguém discutindo temas relevantes em sala de aula. Por outro lado, nós podemos afirmar que a escola é peça fundamental para que o programa exista”, afirmou a coordenadora do programa no Piauí, major Elizete Lima.

A major explicou que o elo entre o programa e a escola se dá a partir do interesse da instituição em levar o PROERD para dentro da sala de aula. “Quando a direção da escola tem interesse, ela nos procura e nós vamos com o maior prazer para dentro da instituição desenvolver o programa”, afirmou.

O programa existe no Piauí desde 2004, mas passou por uma reestruturação no ano de 2013. O PROERD é a versão brasileira do programa norte-americano Drug Abuse Resistance Education – D.A.R.E., surgido em 1983. No Brasil, o programa foi implantado em 1992, no Rio de Janeiro.

Programa deve chegar a 200 escolas em 2015

O número de escolas que receberá o programa no ano de 2015 deve mais que dobrar. A ideia é que um número cada vez maior de crianças e instituições seja beneficiado por esse programa, que é implantado tanto em escolas públicas como particulares e filantrópicas. A maioria das escolas que contam com o projeto, hoje, está em Teresina, chegando 43 na capital, das 82 em todo o Estado.

“Em 2014, infelizmente nós ficamos um pouco abaixo da meta que havíamos estipulado de cerca de 100 escolas, mas isso se deve ao calendário escolar diferenciado, por conta de eventos como a Copa do Mundo, por exemplo. Nós trabalhamos por trimestre, mas em 2014 essa programação acabou ficando comprometida. Mas para 2015 nós queremos compensar isso, chegado a cerca de 200 escolas em todo o Estado”, explicou a major.

Esse trabalho de expansão já começou em todo o Piauí, pois já existem instituições com o PROERD em fase de implantação. “Nossos instrutores são preparados para fazer esse projeto dar certo. Eles realizam curso de formação de 80 horas/aula, que os capacitam a lidar com crianças e adolescentes. Eles participam desse programa de forma voluntária, viajam para os municípios do interior do estado com o maior prazer de desenvolver um projeto tão bonito como esse. Agora nós queremos expandi-lo ainda mais”, afirmou Elizete.

O instrutor PROERD, Clendson Rodrigues, afirma que, com o projeto, ele uniu as duas paixões da sua vida, que é a polícia e a docência. “Além de ser policial, eu também sou professor e gosto de atuar em sala de aula. O projeto veio para casar essas duas paixões e acabo usando as habilidades adquiridas na área da docência e da didática em favor desse projeto”, pontuou.

Escola aprova resultados do PROERD no cotidiano dos alunos

Os maiores beneficiados desse programa são os alunos e a própria escola. Segundo a diretora da Escola Municipal Galileu Veloso, no Bairro Alto Alegre, Maria das Dores, o projeto não é importante apenas porque discute a problemática das drogas, mas porque forma cidadãos.

“Essa é uma contribuição importante para que eles digam não às drogas, mas também, com o programa, eles aprendem a ser disciplinados, aprendem coisas que parecem simples, mas que fazem muita diferença. Antes eles chegavam atrasados, entravam na sala de aula e sequer davam um bom-dia. Hoje eles já não fazem mais isso”, disse.

A major Elizete explica que esses ensinamentos também fazem parte do programa e são chamados de Combinados PROERD. “São regras de boa educação, que nós passamos para eles. São coisas simples do dia a dia, mas que acabam fazendo a diferença de forma negativa ou positiva caso sejam usadas ou não”, disse.

A professora Maria de Lourdes, do 5º ano da escola, sala onde o programa é implementado, afirma que as contribuições do PROERD na sala de aula e até mesmo fora dela são perceptíveis. “Nós tínhamos o caso de duas crianças na sala de aula, em situação de vulnerabilidade, que possuíam um índice de faltas muito alto antes do programa. Hoje elas já não faltam às aulas como antes, melhoraram o desempenho e são pessoas melhores”, disse.

Programa melhora comportamento dos alunos fora da sala de aula

Fora da sala de aula, os resultados do PROERD também já podem ser percebidos. “Já ouvi alunos conversando fora da sala de aula e um repreendendo o outro de acordo com ensinamentos do programa. Então, isso mostra que o que é discutido aqui acaba ficando, vai além da sala de aula e
tem um retorno bastante positivo”, pontuou a professora Maria de Lourdes.

A estudante da escola, Tamires Cristina da Silva, de 10 anos de idade, afirma que gosta do programa e conta que já aprendeu muita coisa com ele. “Eu gosto muito das dinâmicas que eles fazem em sala de aula e dos temas discutidos. Um dos que mais gostei foi quando discutiram as bases da amizade e o que aprendi já usei com minhas amigas e hoje nós não brigamos mais”, afirmou.

O PROERD é resultado de parceria entre a Secretaria de Estado da Segurança Pública, Secretaria de Estado da Educação, Secretarias Municipais de Educação, Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania e demais instituições e órgãos, públicos e privados, que tenham por objetivo o bem-estar social, projetando seus esforços, estrategicamente na prevenção da criminalidade, concorrendo para a diminuição dos índices de violência e criminalidade, especialmente, para a diminuição do uso abusivo de drogas, que vem se caracterizando como o flagelo do terceiro milênio no mundo inteiro.

O PROERD foi acolhido por todas as Polícias Militares do Brasil adaptando-se, com singular justeza, ao propósito preventivo, que objetiva prevenir o uso abusivo de drogas e a violência entre crianças, adolescentes e adultos.



Clique e Curta Portal Meio Norte no Facebook

 

Fonte: Pollyana Carvalho