Programa reduz evasão escolar em cerca de 75% no Piauí

O sistema monitora a frequência escolar dos alunos

As escolas públicas estaduais do Piauí conseguiram superar um problema antigo com a ajuda da tecnologia. Implantado em 2014, o sistema Mobieduca.Me monitora a frequência escolar dos alunos. O resultado: redução em mais de 75% da evasão escolar.

Através de um equipamento instalado nas unidades escolares, os alunos passam sua carteirinha para computar a presença, e o sistema ainda possibilita que professores anotem todo tipo de ocorrência em uma ficha, como a prática de bullying. O dispositivo produz um relatório que servirá para acompanhamento da escola e dos pais.

Sistema controla frequência através da carteira de estudante
Sistema controla frequência através da carteira de estudante

A Secretaria Estadual de Comunicação comemora os resultados. Se antes os pais eram chamados na escola para receber notificação sobre comportamento ou notas, através do Mobieduca.Me ele pode acompanhar o dia a dia escolar do filho, tornando-se grandes parceiros do processo educativo permanente.

“Os pais recebem notificação caso os alunos não apareçam para dar satisfação, e isso os aproximou da escola. As unidades escolares que já têm o sistema elogiam, e as que não têm, desejam sua implantação”, explica o gerente de sistemas da Seduc, Francisco Saraiva de Sousa.

Ele conta que mesmo os cursos voltados para a Educação de Jovens e Adultos (EJA), que costumam ter índices maiores de faltas, hoje contam com casos substanciais de melhora. Um desses acontecimentos foi relatado por uma escola da 20ª regional. “ A instituição informou à Secretaria que a frequência tem aumentado em até 90% nesse caso. Trabalhamos com um índice de redução de faltas em 75%, podendo haver variação de uma escola pra outra. Em alguma escolas a frequência cresceu para até 100%”, revela.

Para os alunos da EJA, o sistema funciona de forma diferenciada: são os próprios alunos que recebem o chamado no celular em casos de falta, para que possam justificar a ausência.

Até o momento, cerca de 70 mil alunos são acompanhados em 127 escolas do Estado, mas os contratos estão em processo de expansão em 2016 e devem incluir mais 200 novas escolas, somando mais 100 mil alunos da rede pública. No total, a rede pública de ensino do Estado conta com 660 unidades.

“Além disso, estamos com um projeto em experiência no Colégio Estadual Zacarias de Góis (Liceu Piauiense), para que também seja acompanhada a frequência de professores e funcionários. Esse projeto está previsto para 2017”, esclarece Francisco.

O critério de prioridade na escolha dos colégios que aderem ao sistema é de que sejam incluídas aquelas com programas focados em resultados, como Poupança Jovem, Jovens do Futuro, além daquelas com maior número de matrículas.

O projeto Mobieduca.Me ficou entre os 12 projetos finalistas no Brazil Lab, programa ligado ao Centro de Liderança Pública (CLP) e que tem o intuito de captar projetos de incentivo ao empreendedorismo, criativos e inovadores para a melhoria do serviço público. Na primeira edição do programa Brazil Lab, 200 empreendedores inscreveram 138 projetos, representando 20 estados da federação. Entre os escolhidos, 50% desenvolveram soluções na área da saúde, 25% em educação e 25% em sustentabilidade ambiental.


Repórter: Mayara Valença

Fonte: Portal MN