Projeto vai intensifcar combate à violência contra o idoso em THE

A violência contra o idoso cresce no Piauí

O projeto Valorização e Respeito à Pessoa Idosa de Teresina foi lançado por meio de uma ação articulada entre o Conselho Municipal dos Direitos do Idoso (CMDI) e a Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social (SEMTCAS), por meio do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), iniciando, num primeiro momento, junto aos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) Sul IV, Sudeste IV, Leste I e Norte III. O projeto visa contribuir com a redução dos índices de violência contra a pessoa idosa.

Um encontro realizado na última quinta-feira (19) abordou o assunto, dando início às primeiras ações do projeto. A proposta inicial é atuar juntos aos SCFVs e CRAS, que estão na linha de frente da rede socioassistencial do município.

Para Silvana Bacelar, presidente do CMDI, é preciso trabalhar a violência e reconhecer que ela não para de crescer. "Trazendo uma reflexão dos nossos projetos vemos que na nossa realidade a violência contra o idoso não para de crescer e é preciso, ainda, fazer um planejamento das datas alusivas: o dia 15 de junho é o Dia Internacional de Enfrentamento à Violência Contra a Pessoa Idosa. De certa forma já estamos nos preparando para essa data, mas, precisamos trabalhar a violência não como um fato distante e, sim, como uma realidade social e humana", disse.

Para Valdeníria Silva, coordenadora do SCFV, é preciso trabalhar as ações todos os dias. "Todos os serviços já vêm desenvolvendo ações para o idoso e com o idoso, mas, acaba faltando mais aproximação. Esse é o momento em que a gente vai nos aproximar deles, abordando, conhecendo a realidade, todos os dias", disse Valdeníria.

Segundo dados da Delegacia do Idoso, o número de casos de violência contra pessoas da terceira idade cresce a cada ano no Piauí. De acordo com os registros, foram 1.500 casos em 2015 e só nos primeiros meses deste ano já há registro de mais 1.000 casos. O levantamento aponta, ainda, que 74% das ocorrências correspondem à violência domiciliar.

Atualmente, qualquer pessoa pode denunciar maus tratos contra crianças, adolescentes e idosos. Um canal muito utilizado é o Disque 100, um serviço que acolhe denúncias que envolvam violações de direitos de toda a população, especialmente, os grupos sociais vulneráveis, como crianças e adolescentes, pessoas em situação de rua, idosos, pessoas com deficiência e população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais).

Fonte: Com informações da Prefeitura de Teresina