Manifestações prejudicam comércio no centro de THE

O comércio de Teresina vem demonstrando preocupação em relação às constantes manifestações

O comércio de Teresina vem demonstrando preocupação em relação às constantes manifestações da população que reivindicam direitos, a exemplo de outros movimentos que acontecem simultaneamente em outras cidades de todo o país.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Lojistas Comércio de Teresina (Sindilojas), Luís Antônio Veloso, a realização das manifestações prejudica o movimento e se continuar dessa forma os efeitos poderão ser sentidos de forma mais forte ao longo do mês.

"As manifestações estão acontecendo e já duram mais de uma semana em Teresina. Com toda certeza, prejudicam a movimentação não só no centro da capital, mas também na região dos shoppings que perdem vendas porque as pessoas deixam de sair de casa com medo de pegar engarrafamento, ou de ter conflitos mais violentos. No shopping principalmente porque as pessoas irão de carro", complementa o presidente do Sindilojas.

Ainda de acordo com o Sindilojas, não existe ainda uma forma concreta de calcular esses prejuízos. Desde a primeira grande manifestação, na quinta-feira passada, dia 20 de junho, muitos comerciantes tiveram que fechar as portas de suas lojas.

De lá para cá, todos os dias havendo manifestações, com interrupções do trânsito, muitos lojistas, sobretudo os da região da Avenida Frei Serafim, estão sendo orientados a fechar as lojas mais cedo e por conta disso, muitos reclamam que já estão tendo prejuízos nas vendas.

Indagado sobre as expectativas para o mês de julho, quando muitos entram de férias e historicamente é um mês que tem bons históricos de vendas, o presidente do Sindilojas afirma que as expectativas são boas.

"O mês das férias quando as pessoas viajam geralmente querem viajar de roupa nova, compram coisas para presentear e é sempre um mês de um bom movimento", finaliza Luís Antônio Veloso.

Fonte: Marcilany Rodrigues