Rio recebe 2011 com som, luzes e show de fogos

Festa foi batizada de "Réveillon da década de ouro da Praia de Copacabana"

Com show inédito de luzes e 16 minutos de queima de fogos, o Rio de Janeiro recebeu 2011 em grande estilo. Milhares de pessoas se reuniram na noite de sexta-feira (31) na Praia de Copacabana, na Zona Sul da cidade, para brindar a chegada do ano novo. Os fogos foram lançados de 11 balsas ? três a mais do que o último réveillon. Por norma da Capitania dos Portos, elas ficaram a pelo menos 400 metros de distância da faixa de areia.

Cada uma das balsas possuía 2.250 bombas, que foram disparadas por comando de ondas de rádio. A grande novidade deste ano ficou por conta de uma trilha sonora para um show de luzes e laser nos quatro palcos distribuídos na orla, cinco minutos antes da virada. A festa foi batizada pela prefeitura do Rio de "Réveillon da década de ouro da Praia de Copacabana".

A expectativa dos organizadores era de que dois milhões de pessoas participassem do réveillon em Copacabana, mas esse número ainda não foi confirmado pela Polícia Militar.



A cabelereira Fabíola Norberto disse que esse foi o melhor revéillon de sua vida. ?Foi o melhor Ano Novo da minha vida. É a primeira vez que venho para Copacabana, sempre passei em Balneário Camboriu, em Santa Catarina. Lá, é lindo, mas aqui é divino?, disse empolgada.

O show de fogos misturou música, cores e desenhos no céu de Copacabana. A trilha sonora montada especialmente para o evento emocionou a auxiliar de faturamento Natane dos Santos: ?Foi emocionante. As músicas, o povo sentindo o calor, foi emocionante. Não tenho palavras?, disse. Já a doméstica Maria Auxiliadora Ramos afirmou que nunca vai esquecer esse momento.

Até São Pedro ajudou e deu uma trégua na chuva que atingiu a cidade nos últimos dias. Desde cedo, muitos turistas e cariocas chegaram à Praia de Copacabana para curtir o banho de mar e marcar lugar para assistir à queima de fogos. Motoristas que insistiram em estacionar em local proibido tiveram o carro rebocado, segundo a Secretaria Especial de Ordem Pública (Seop).

Para garantir a festa, vários artistas sem apresentaram nos quatro palcos espalhados pela orla. Entre as atrações estavam Alcione, Daniela Mercury, Zeca Pagodinho, DJs e baterias de escolas de samba.

Se a queima de fogos na praia carioca não chega a ser novidade para alguns, o mesmo não pode ser dito com relação a alguns turistas. É o caso o irlandês Niall, de 25 anos, que veio à cidade com a namorada e um grupo de amigos: ?Foi absolutamente fantástico. Nunca vi nada parecido na minha vida?, destacou Niall.

Mestre de cerimônias do Palco Brasil, montado em frente ao Hotel Copacabana Palace, o ator Eri Johnson se disse feliz por poder encerrar ?um ano tão maravilhoso? em sua cidade natal. ?Só posso agradecer a Deus por esta passagem de ano. A resposta dessa galera é incrível. Agora peço muita paz e saúde. Mas nunca peço apenas para mim. É para todo mundo!?, disse.

Noite começou com samba

Com o refrão "Ôôôôôôô, a Mangueira chegôôôôô! Feliz Ano Novo!", a cantora Alcione abriu o show fazendo alusão à escola de samba do coração e cumprimentou o público. Vestida com uma roupa prateada, a Marrom começou a apresentação pontualmente às 18h45. O repertório incluiu sucessos como "Não deixe o samba morrer" e clássicos do samba carioca.

Depois de uma hora de apresentação, a cantora deixou o Palco Brasil: "Foi lindo", descreveu a costureira paulistana Maria José Cunha, de 51 anos, que viajou de ônibius de São Paulo só para passar o réveillon na capital carioca. "Estou em pé aqui, nesta mesma posição, desde as 11h. E pretendo permanecer até o dia raiar", completou.

A cantora Daniela Mercury se apresentou em seguida. A baiana subiu ao palco às 20h21, ao lado de dançarinos. Depois, emendou no clássico ?Samba da minha terra?, de Dorival Caymmi. O show, que foi gravado para ser lançado em DVD, teve participações especiais. Entre elas, integrantes do grupo cultural AfroReggae, bailarinas da banda Didá, e ritmistas da da escola de samba Unidos da Tijuca.

?Não consigo nem chorar, tamanha é a minha emoção. Eu estou transparecendo felicidade?. Foi assim que a cantora Daniela Mercury definiu as três horas que permaneceu no comando do show no Palco Brasil. ?Eu chorei quando percebi que o público estava emocionado ao ver a logo das Olimpíadas Rio 2016, me arrepiei, foi lindo?, completou ela.

Fonte: Globo, www.globo.com