Roseana diz que não vai interferir na decisão de Lago

"Não vou botar polícia, nem mandar retirá-lo", diz Roseana

Roseana diz que não precisa entrar no palácio para governar

A governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), afirmou nesta sexta-feira (17) ao UOL Notícias que não irá intervir para retirar Jackson Lago (PDT), que teve o mandato cassado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) por abuso de poder durante as eleições do Palácio dos Leões, de onde o pedetista se recusa a sair e irá passar a noite.

"Por enquanto eu não pretendo fazer nada, ele vai ser responsabilizado pelo dano que ele causar ao patrimônio público. Mas eu não vou botar polícia, nem mandar retirá-lo", afirmou Roseana.

"Eu já fiquei aqui no meu primeiro mandato, quatro anos trabalhando na minha casa porque estava reformando o palácio, portanto não vai me fazer falta trabalhar lá ou aqui. Mas se houver algum dano ao patrimônio, sim, essa é a única coisa que eu pretendo fazer."

A nova governadora disse que, se preciso, irá despachar no Palácio Henrique de La Roque, sede administrativa do governo.

Lago recusa-se a deixar o palácio do governo. Por volta das 16h, o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, negou seguimento (arquivou) a uma ação cautelar que tentava suspender a decisão de ontem do TSE, que, ao julgar recurso de Lago, decidiu manter a cassação e, assim, empossar a segunda colocada no pleito.

Segundo o ministro, a defesa deve entrar com recurso extraordinário, e não com ação cautelar, mas os advogados de Lago devem aguardar, para tal, a publicação do acórdão da Justiça Eleitoral. A defesa de Jackson Lago informou à Folha Online que irá entrar com o recurso, mas já protocolou novo pedido, mais uma vez em forma de ação cautelar, no Supremo.

Do Palácio dos Leões, sede do governo, Lago conversou mais cedo por telefone com o UOL Notícias, pouco antes da posse de Roseana. Ele afirmou que não sairia do local até que a cassação do mandato fosse julgada pelo STF ou até que a Assembleia Legislativa do Maranhão realizasse eleições indiretas para substituí-lo.

Fonte: AE