Reportagem revela todos os "mitos"sobre a escova de dentes

Confira na matéria o que é verdade ou mentira

A escova de dentes é um dos acessórios que mais usamos na vida, mas continua uma ilustre desconhecida:  muita gente não sabe como conservar corretamente, como se deve fazer a higienização ou ainda se por meio dela é possível pegar doenças.  Confira nessa reportagem o que é verdade ou mentira sobre a nossa companheira escova.

·      É preciso trocar a escova de dente a cada três meses – Verdadeiro: segundo Celso Minomi, especialista em ortodontia em diretor da GOU Franquias, “uma escova tem uma duração média de dois a três meses. A troca de escova é recomendada assim que as cerdas apresentam curvatura, pois isso diminui a eficiência da higienização bucal”.

·      Escova de cerdas duras é a que limpa melhor – Falso: o ideal é que a escova tenha cerdas macias ou extra-macias porque a remoção da placa bacteriana é resultado dos movimentos e não da força que se aplica durante a escovação.

·      É preciso trocar de escova de dentes depois de uma gripe –Falso: Adriana Dalboni (CRO-SP: 73 255), cirurgiã-dentista e especialista em ortodontia, informa que não há estudos que comprovem a necessidade da troca de escova após a gripe. “A própria saliva possui anticorpos que podem ajudar no combate ao vírus da gripe. E em uma infecção viral os remédios teriam ação, apenas para controle dos sintomas causados pelo vírus como febre, congestão nasal e desconforto/ mal-estar. Independente do que se faça o ciclo de vida do vírus é de uma semana”, acrescenta ela.

·       A escova precisa ser higienizada de tempos em tempos – Verdadeiro: “A escova é como se fosse uma esponja. Quando lavamos um prato ficam resíduos na bucha, se não houver a limpeza da esponja, lá ficarão alimentos em estado de decomposição. A recomendação é higienizar a escova com água oxigenada a 10 volumes ou fazer a imersão em antisséptico bucal para eliminar todos os germes”, orienta Celso. No dia a dia, após a escovação lave com água abundante, sem passar o dedo nas cerdas, e remova o excesso. Outra dica importante é usar um protetor com espaço para ventilação para evitar que as cerdas recebam as bactérias do ambiente.

Fonte: iG