Saúde inicia mutirões de atendimentos a crianças com microcefalia

Em Teresina, o atendimento será no Centro Integrado de Reabilitação

Em duas ações simultâneas, uma em Teresina e outra em Parnaíba, a Secretaria de Estado da Saúde realiza nessa segunda (7), mutirões de atendimento às crianças com microcefalia. Em uma ação, serão intensificadas as investigações para diagnosticar as causas da patologia e na outra, consulta, estimulação precoce e início do tratamento multiprofissional aos pacientes.

Em Teresina, o atendimento será no Centro Integrado de Reabilitação(Ceir), em horário estendido exclusivamente a esses pacientes.  Semanalmente, 24 crianças serão atendidas com consultas e logo na segunda semana, inicia-se o tratamento multiprofissional. O Ceir vai colocar em prática as diretrizes para a estimulação precoce de crianças de 0 a 3 anos diagnosticadas com microcefalia.

Além do Ceir, o secretário Francisco Costa explica que os serviços serão descentralizados, tendo a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) e os Núcleos de Apoio à Saúde da Família(NASF) como parceiros na oferta dos serviços no interior do Estado. “As APAEs e NASFs serão nossos parceiros, já que estão presentes no Estado para a realização da estimulação precoce dos bebês nos seus municípios de origem”.

Para a presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde(COSEMS), Leopoldina Cipriano, reconhece a importância da ação de descentralização dos serviços, pois facilitará o acesso ao tratamento, “porque é inviável o deslocamento seguidas vezes para Teresina, já que o tratamento é feito em várias sessões. Assim, o deslocamento acontecerá somente quando a criança for passar por avaliação com especialistas”.

Em Parnaíba, para dar agilidade na investigação diagnóstica das causas da microcefalia, 15 pacientes, sendo 10 de Parnaíba, quatro de Luiz Correia e um de Murici dos Portelas, serão atendidos no Centro de Especialidades, onde uma equipe multiprofissional, tanto do Estado como da Prefeitura Municipal, apresentará os resultados dos exames e, dali, as crianças serão encaminhadas para prosseguir o tratamento.

“Vamos finalizar o processo de investigação, identificando as causas da microcefalia, se há ou não relação com o vírus zika ou outro processo infeccioso”, afirma Miriane Araújo, gerente de Vigilância e Atenção à Saúde, explicando também que será dado início à estimulação precoce, agendamento para a APAE, atendimento multiprofissional, além do encaminhamento para a unidade de saúde mais próxima da casa do bebê.

Outra novidade no tratamento diz respeito à antecipação do tratamento dos bebês através da estimulação precoce. “Até aqui o protocolo preconizava o início desse tratamento após a investigação diagnóstica. Passaremos a tratar essas crianças a partir de detectada a microcefalia, independente de ter ou não relação com o Zika vírus”, explicou a superintendente de Atenção Integral à Saúde (SUPAT), Cristiane Moura Fé.

A Secretaria planeja, ainda, o atendimento psicológico das mães, em parceria com os Centros de Atenção Psicossocial (CAPs). Segundo Marcos Geraldo, da Secretaria de Ações Estratégicas do Ministério da Saúde, o perfil social dessas mulheres indica “que são pessoas de baixo nível econômico, que tiveram gravidez indesejada e sem companheiro. Então, temos que acolher e apoiar”, disse.

Microcefalia no Piauí

No período de 04 de outubro de 2015 a 27 de fevereiro de 2016, o Estado acumulou um total de 138 casos notificados de microcefalia. Desses, 46 foram confirmados como microcefalia relacionados a processo infeccioso, 15 descartados quanto à relação de processo infeccioso e 77 continuam em investigação.

Mutirão Teresina - CEIR
Atendimento das 14 às 19h
Consulta de admissão na primeira semana e logo na segunda semana, início do tratamento
Serão realizadas 24 consultas semanalmente

Mutirão Parnaíba – Centro de Especialidades
Atendimento de 8 às 18h
Consulta, estimulação precoce e agendamento para início do tratamento na APAE

Fonte: Com informações do Portal do Governo