Seca: População alerta para caos no interior do Piauí

Seca: População alerta para caos no interior do Piauí

Segundo a Cáritas, comunidades inteiras estão sem água e sem pastagens para seus animais.

Em situação de emergência causada pela seca, comunidades do Sul do Estado, especialmente da região de Oeiras, alertam que o esvaziamento dos reservatórios de água dificulta cada vez mais a sobrevivência das famílias. A secagem da lagoa da comunidade Feitoria, em Oeiras, que abastece ainda diversas localidades, dentre as quais, Morro Grande, Paraíba, Murões e Moraes, deixa a situação muito grave. O mesmo acontece com a região de São Miguel da Talhada, do municípios de São João Varjota, que está com as lagoas secas.

Em Jaicós, na região de Picos, apenas dois poços estão abastecendo a população de pelo menos 18 mil habitantes. Os poços estão secando. A situação é igual no município de Queimada Nova, na região de Paulistana, onde apenas um poço fornece água para 80% dos 8,5 mil habitantes. O açude Tiririca, em Jaicós, que abastecia a cidade secou totalmente. Os carros pipas cadastrados não pegam mais água o suficiente para atender a população o que compromete o abastecimento.

Segundo o padre da Diocese de Oeiras, João de Deus, a população vem se mobilizando para conseguir melhorias. Juntamente com a paróquia também se mobiliza a Cáritas Diocesana de Oeiras, os técnicos do Centro Educacional São Francisco de Assis ? CEFAS. Na última terça-feira houve reunião com a presença de 21 municípios da região, com a mesma preocupação: falta de água. A reunião culminou em um documento a ser enviado para o Governo Estadual.

Dentre as reivindicações mais urgentes estão os problemas relacionados aos créditos bancários do recurso estiagem, soluções como desaterramento das lagoas, dentre outras. Segundo o padre, várias foram as andanças junto ao poder público para solucionar os problemas das lagoas. A solução encontrada pela comunidade Feitosa para manter os animais, principalmente, vivos, foi a construção de uma adutora de mais ou menos 300 metros, que levou água do poço tubular mais próximo até a lagoa para saciar a sede dos animais. A verba foi destinada pela própria paróquia.

O pároco lembra que a lagoa da comunidade Feitosa é um importante reservatório da região, a situação hoje assistida pelos moradores não acontece desde 1955, a última vez que o reservatório secou por completo.

Ananias Moura, assessora da Cáritas Regional Piauí, lembra que assim como a comunidade Feitoria, existem várias outras comunidades no município de Oeiras na mesma situação, como, por exemplo, as comunidades de Ipoeiras, Morões e Tranqueira. ?Comunidades inteiras sem água e sem pastagens para seus animais e todas elas aguardam do Governo uma intervenção no sentido desterrar as lagoas para garantir, com as próximas chuvas, uma maior capacidade de armazenamento?, conclui Ananias.

Seminário apresentará soluções

Nos dias 22 e 23 deste mês será realizado em Picos o I Seminário de Comunicação e Desenvolvimento Sustentável do Semiárido. No evento serão discutidas soluções para a problemática da convivência com a seca no período de estiagem e contará com as participações da coordenadora do Unicef, Ana Márcia Diógenes, e do secretário mundial da Associação Católica da Comunicação para a América Latina, Pedro Sánchez Coronel.

No evento serão discutidas soluções para a problemática da convivência com a seca no período de estiagem. O seminário se propõe a ser um diálogo aberto sobre o papel da comunicação no desenvolvimento sustentável do semiárido. A coordenadora do Unicef, Ana Márcia, vai abordar a experiência do Selo Unicef Município aprovado como estratégica de desenvolvimento local.

Fonte: Sarah Fontenelle