"Enem é confiável", garante o secretário Antônio José Medeiros

Exame em crise após vazamento de provas e foi remarcado para 5, 6 de dezembro em todo País

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) garantiu apoio, pelo menos entre os secretários estaduais de educação. O exame está em crise pelo vazamento de algumas provas, que levou ao cancelamento do contrato com o consórcio responsável pelo processo. Com data remarcada para os dias 5 e 6 de dezembro a meta da organização do exame é retomar a confiabilidade do Enem.

Representante do Piauí no comitê de governança do Enem, o secretário Antônio José Medeiros é enfático ao afirmar que há segurança no Enem. ?O comitê é composto por 5 reitores e 5 secretários e todo mundo manifestou apoio ao Enem. O Ministro (Fernando Haddad) nos convenceu de que estão tomadas todas as providências com os recursos mais seguros que existem no Brasil hoje?, ressaltou Antônio José Medeiros. O secretário aproveitou ainda para defender as atitudes que o Ministério tomou em caráter de emergência para realizar o Exame.

?Vai ser uma empresa só produzindo o Exame e não mais 3 empresas, isso ajuda a fazer as coisas com mais controle. Quem tem mais fama de distribuição segura com a experiência das eleições são os correios e o mesmo procedimento será utilizado no Enem. A Polícia Federal vai reforçar a vigilância. O uso dos serviços mais acreditados vai dar total segurança a nova prova?, ressaltou o secretário. A respeito dos estudantes, o secretário de educação ressaltou que não haverão alunos prejudicados.

No Piauí não havia nenhum vestibular marcado para a data do Enem. ?Acho que todos devem ficar tranquilos porque será um exame muito sério e a data não vai atrapalhar ninguém porque houve apenas uma inversão de data?, destacou Antônio José Medeiros ressaltando que agora o Enem será realizado depois de alguns vestibulares. O secretário destacou que não haverá prejuízo no início das aulas por causa da correção da prova do Enem.

Questionado se todo o processo mostra erros a serem corrigidos na prova, Antônio José Medeiros ressalta que é preciso respeitar os passos burocráticos. ?Acho que fica uma lição muito importante, mas é preciso entender a complexidade da administração pública. Eu aqui vejo empresas que ganham para construir escolas e eu tenho frio na barriga, mas foi ela que ganhou?, comenta o secretário.

O secretário ressalta que se o Enem tivesse tido exigências técnicas haveriam novos problemas. ?Se colocassemos exigências técnicas haveria a denúncia da imprensa de que estamos direcionando a licitação?, ressaltou Antônio José Medeiros.

Fonte: Carlos Rocha, Jornal Meio Norte