Seduc deve ofertar 20 mil vagas no segundo semestre no Piauí

O cenário local é vantajoso para quem quer cursos profissionalizant

O cenário local está cada vez mais propício para quem deseja ingressar em cursos profissionalizantes no Estado do Piauí. É que algumas instituições ofertam vagas regulares próprias, sem a necessidade de pactuação de programas federais. Essa modalidade é uma excelente alternativa para quem deseja ingressar no mercado de trabalho de forma mais rápida, pois oferece uma qualificação profissional e possui uma curta duração, além de promover qualificação e proporcionar uma maior remuneração no mercado de trabalho. Somente a Secretaria de Educação do Piauí (Seduc) possui a expectativa de ofertar 20 mil novas vagas no segundo semestre do ano em todo Estado.

De acordo com o diretor da Unidade de Educação com Mediação Tecnológica - Mais Saber, Ellen Gera de Brito Moura, o órgão possui uma Superintendência de Ensino que controla a Unidade de Educação Profissional (UETP), que é responsável por fazer toda a programação de vagas dos cursos oferecidos pelo Estado. “O governo oferta tanto o ensino regular, mas também o viés do ensino profissional. Além dessa unidade, existe a Unidade de Educação com Mediação Tecnológica, que tem uma capacidade muito grande de oferta de matrículas, porque as aulas dessa modalidade são transmitidas de um estúdio de TV que chega até 300 salas de aulas espalhadas pelo Piauí através de um satélite”, completou.

As novas vagas que devem ser ofertadas na rede pública no Estado são tanto para estudantes da própria rede do Ensino Médio que terão o curso técnico de forma concomitante, quanto para quem já concluiu o Ensino Médio. “O governador já solicitou a liberação das vagas e isso tudo está sendo feito para que a educação técnica profissionalizante possa chegar ao maior número de pessoas. Nós também vamos fazer cursos técnicos de curta duração durante as férias”, acrescentou. Os cursos da Seduc existem em todas as unidades que possuem centros capacitados para o curso técnico. A expectativa gira em torno do lançamento do edital explicando o passo a passo da oferta.

Para o diretor, esses cursos, além de promoverem a educação, também vão movimentar a economia dos municípios em que foram ministrados, pois vai precisar contratar professores, coordenadores e outros profissionais.

“Os alunos, organizados em turmas, assistem às aulas em recepção organizada, ou seja, presentes nos Ambientes Escolares de segunda a sexta-feira e nos fins de semana nos horários estabelecidos para a transmissão das aulas. Em cada sala de aula existe um mediador pedagógico que de forma, também presencial, medeia as atividades pedagógicas, organiza o ambiente físico e educativo, que permite a realização das atividades locais e a interação discente/docente, garantindo assim a comunicação entre os sujeitos do processo de ensino e aprendizagem”, considerou.


Fonte: Waldelúcio Barbosa