Seis mil procedimentos serão remarcados após greve do INSS

Ao todo, 32 agências do INSS deflagraram greve

Em greve há mais de dois meses, os técnicos e analistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) garantem que todos os serviços, como pedido de aposentadoria e perícias médicas, por exemplo, que estão sendo impedidos de ser feitos por conta do movimento grevista, serão remarcados.

A informação é do presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social do Estado do Piauí (Sintsprevi), Antônio Machado.

Ele afirma que uma média de seis mil procedimentos terão que ser reagendados. "Por enquanto estamos fazendo 30% dos atendimentos, conforme determina a lei", admite o sindicalista.

Antônio Machado esclarece que os segurados que estão sendo prejudicados pela greve terão o benefício pago de acordo com a correção monetária pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor(INPC), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

AGÊNCIAS - Ao todo, 32 agências do INSS deflagraram greve. O sindicato afirma que 90% da categoria aderiu ao movimento. Na última semana, os médicos peritos também cruzaram os braços.

Os grevistas reivindicam melhorias nas condições de trabalho, reposição das perdas salariais, implementação do plano de cargos e carreiras, equiparação salarial entre servidores ativos e inativos, redução da carga horária para 30 horas, reajuste salarial de 27,5% e concurso público para a reposição do quadro de 15 mil servidores para todo país.

"A última proposta do governo federal foi o reajuste de 10.8%, parcelado em dois anos. A categoria se articula para um possível fim de greve, mas alguns pontos ainda devem ser analisado como a redução da carga horária para 30 horas", finaliza Antônio Machado.

Fonte: Lindalva Miranda e Izabella Pimentel