Sem controle, pombos infestam cidade de Teresina e podem causar doenças

No entanto, os pombos muitas vezes escondem doenças que podem ameaçar a saúde humana.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA QUARTA-FEIRA (14) DO JORNAL MEIO NORTE

Com presença em todos as regiões de Teresina, o número de pombos cresce a cada dia e eles se espalham por toda a cidade. Completamente adaptadas ao perímetro urbano, as aves são vistas por alguns como um elemento da natureza que deixa a cidade mais bonita, principalmente nas praças da cidade. No entanto, os pombos muitas vezes escondem doenças que podem ameaçar a saúde humana.

As áreas urbanas dão grande facilidade para que os pombos consigam viver sem grandes problemas nas cidades. A arquitetura urbana oferece abrigos para as aves. Existe alimentação farta para elas devido à descuidos os seres humanos. Além disso, em áreas urbanas, não existem predadores naturais para os pombos, ou seja, todos os fatores dão às aves uma grande chance de sobrevivência e reprodução, dando bastante trabalho para que haja o seu controle.

O veterinário Caio Rodrigues explica o grande problema que a multiplicação desordenada dessas causa: “É comum observarmos grandes quantidades de pombos em alguns locais, principalmente prédios abertos e grandes árvores. Nesses locais ficam também acumuladas fezes que podem proliferar doenças entre os pombos e prejudicar a saúde do ser humano”, explica.

Fonte: Victor Costa