Seminário das Famílias faz debate sobre drogas na zona Sudeste

O evento conta com o apoio da Fazenda da Paz,

Muitas famílias enfrentam problemas ocasionados, dentre outros fatores, pelo uso de álcool e de ou-tras drogas. Vários são os relatos de famílias desestruturadas em Teresina.

Foi pensando nisso que a Arquidiocese resolveu promover o Seminário em defesa da vida. Com o tema "Resgatando a família da dependência química" e o lema "Serás salvo tu e tua família", o Seminário reúne famílias de várias comunidades na Paróquia Santuário São Francisco, no Dirceu Arcoverde I.

O evento, que conta com o apoio da Fazenda da Paz, tem como objetivo unir forças e buscar respostas para as necessidades atuais das famílias vítimas da dependência química, estratégias de prevenção às drogas e também para a libertação da codependência. Para Marcio Matos, coordenador arquidiocesano da Pastoral Familiar, todo evento que venha trazer benefício para família é importante.

"Este é um trabalho emergencial. Vemos que as famílias hoje estão esfaceladas, destruídas por conta desse grande problema, deste mal. Temos que chamar atenção do poder público e da própria sociedade para isso", comenta ele, ao ressaltar que o ideal é buscar soluções. "Hoje não adianta mais a família trabalhar sozinha e o estado trabalhar sozinho. Se não nos unirmos para combater, nada será resolvido", frisa.

Segundo Célio Barbosa, coordenador da Fazenda da Paz, o Seminário reúne todas as ações de políticas de acolhimento, prevenção e atendimento sobre drogas. "É um momento muito importante, em que se tem oportunidade de mostrar para as paróquias e para a própria Arquidiocese os trabalhos desenvolvidos. Às vezes a gente é do mesmo lugar e não sabe o que o outro está fazendo", destaca.

A programação conta com momentos de oração, palestras, discussões e apresentações culturais e segue até hoje. O Seminário das Famílias contará também com a participação do "Amor Exigente", Comunidade Terapêutica Padre Pio e outros grupos da igreja católica.

Alguns internos da Fazenda da Paz estão participando e acompanhando toda a programação. "Eles estão ouvindo as palestras sobre codependência e sobre a importância da família na recuperação.

Existem casos em que a família fica mais doente que o próprio dependente, então tem que tratar todo mundo. O dependente sozinho é capaz de incomodar muita gente, por isso precisamos trabalhar todo o conjunto", acrescenta Célio Barbosa.

Fonte: Aline Damasceno