Setut pedirá aumento da passagem de ônibus em THE

Estudos já estão sendo feitos para que seja elaborado o documento, que será enviado à PMT.

O Sindicato de Empresas de Transporte Urbano de Teresina (Setut) deverá pedir o reajuste das passagens de ônibus de Teresina ainda nas próximas semanas.

Segundo o presidente do Sindicato, Herbert Miúra, estudos já estão sendo feitos para que seja elaborado o documento, que será enviado à Prefeitura Municipal de Teresina.

Miúra disse ainda que não está de acordo que esse reajuste seja repassado para a população, e que o ideal seria que houvesse a isenção de impostos para as empresas, para que o valor das passagens não precisasse subir.

"Não é só Teresina, mas nenhuma cidade do país suporta pagar mais caro pela passagem de ônibus. A saída está nos subsídios oferecidos pela Prefeitura e Governo do Estado, a isenção de impostos como IPVA, não cobrar ICMS sobre pneus e diesel, por exemplo", disse Miúra, durante audiência pública que discutiu a licitação das empresas que atuarão no transporte público de Teresina.

O diretor de Transportes Públicos da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans), Ricardo Freitas, no entanto, garantiu que não haverá reajuste do preço da passagem de ônibus até que seja finalizado o processo licitatório e escolhidas as empresas que passarão a fazer linha na capital. "Esse reajuste, se acontecer, será de acordo com os serviços a serem oferecidos. Será um serviço com mais facilidades, mais confortável", disse.

Quanto à licitação, dentre as principais polêmicas estão a possibilidade de redução de postos de trabalho, estipulada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários (SINTETRO-PI) e ainda o pedido de indenização pelo Setut, caso as empresas do sindicato perdam o processo licitatório.

"Nós queremos que seja incluído no edital da licitação um termo que garanta que nós não seremos demitidos pelas novas empresas e que garanta também que eles não dispensarão o uso de cobradores nessas empresas", afirmou o presidente do Sintetro, Francisco das Chagas Oliveira.

O proponente da audiência pública, o vereador Dudu, afirma que discutir esse assunto é necessário para esclarecer as dúvidas dos vereadores da casa e da população sobre o assunto. "Ainda tem muita coisa confusa nesse edital.

Por exemplo, nós sabemos que haverá a criação de um Fundo Municipal de Transportes, mas não sabemos quem vai administrar, de onde virá o recurso, dentre uma série de outras dúvidas", disse.

Fonte: Pollyanna Carvalho